NÃO ESTOU A VENDA

Chegou aqui uma leva de espíritos encarnados e desencarnados. Todos com propostas embaixo do braço, todos querendo me comprar, comprar minha missão, o meu sacerdócio.

Eu não estou a venda. Sempre tive mil dificuldades com meu carma, mas eu não entrego o que eu recebi nesta confirmação do mestrado. Tudo devo a Tia Neiva, Pai Seta Branca e Humahã. Eles me entregaram a minha missão neste plano físico e por isso com tanto dinheiro que jogaram aos meus pés eu via aquilo como trair os meus mentores.

Seu dissesse para vocês que o valor era muito alto não iriam acreditar nas promessas materiais então. Como profissional eu nunca recebi este valor na minha vida e olha para que eu conseguisse o que tenho lutei muito, não fiquei sentado esperando acontecer, eu me virava em mil.

Na terra estas dificuldades que todos tem é porque pediram para viver assim. Não souberam pedir e aí sofrem aborrecendo Deus em suas palavras e pensamentos. Não que não soubessem pedir, mas seus espíritos tem domínio próprio sobre as tarefas a serem feitas nesta dimensão para pagar seus erros. Sem caridade não há salvação.

“Cuide do que é teu”. Tia Neiva. Eu recebi esta orientação quando tia Neiva estava entre nós nesta passagem do amanhecer. O que todos não sabem que a profundidade destas palavras marcou meu eu interior, eu sempre fui uma pessoa que acreditava no próximo e sempre fui passado para trás. Sempre levei tombos materiais, mas espiritualmente foi uma dívida paga. Como da ultima vez que levei um tombo onde Pai João veio e me disse: É meu filho, você tirou um caminhão de cavalos deste homem e agora pagou com seu bolso. Mesmo eu trabalhando muito pela caridade eu não consegui pagar com meus bônus, foi preciso pagar materialmente, porque ele estava encarnado.

Depois disso o homem desapareceu da minha vista. Levou quase tudo que eu tinha investido na construção de minha casa em Curitiba. Eu conto isso para mostrar que somos físicos e vivemos pelo físico. Todos têm suas histórias, o problema que muitas vezes esquecem na prateleira como um pergaminho empoeirado.

Estes espíritos chegaram aqui com estas propostas de fazer qualquer um balançar. Eu me mantive firme em minha decisão. Não posso vender algo que não me pertence e nem aceitar propostas em cima de uma verdade que se chama Deus. O problema é que quem não tem dom quer comprar um para ser dono de sua organização. Um dom natural nasce de dentro para fora, aliás ele vem de fora, nasce e define sua missão. Quem tem um dom não pode ser moeda de troca. Tem que ter firmeza de propósito e não balançar diante das provações.

Os homens de preto que não medem consequências das ofertas. Se eu fosse um materialista já teria agarrado com unhas e dentes. E digo mais ainda, minha família teria mais conforto e viveriam bem. Eu sempre lutei para conseguir meus objetivos e com muito custo troquei minha velha roupagem encardida pela luz que irradia do coração.

O dinheiro pode ajudar e muito a sua condição de encarnado, mas ele não é tudo, porque se não tiver paz de espirito nenhuma riqueza vai te ajudar. O equilíbrio moral, social e espiritual. Três correntes trabalhando para completar seu destino.

Na terra é dado as oferendas para cada pessoa que deve escolher o lado da verdade, mas nem sempre fazem as boas escolhas e depois começam a pipocar no palco as cenas de desmoralização e das tragédias. Um homem equilibrado tem metas a serem conquistadas. A razão de tudo se chama evolução material e espiritual. A eterna balança do razoável, uma tem que estar na mesma quantificação da outra. Se uma pender mais que a outra algo está em desordem, principalmente o sentimental que faz uma pessoa entrar pelo retrocesso.

Jaguares, esta força sentimental é um perigo muito aquém de nossa vida. Ele regula nosso sistema mediúnico, biológico e espiritual. Se você está abalado sentimentalmente tudo acaba em desequilíbrio. São nossas emoções que contam nesta trajetória. Nestas emoções estão a felicidade, risos, e a tristeza, choros. Chorar sorrindo e rir chorando, uma troca de condição sublimada pelo espelho invisível de nossa encarnação.

Quantas noites eu ouço os choros de lastimas que ecoam pelas planícies da incompreensão. Quantos ataques sentimentais somos obrigados a aceitar para que a outra parte se conforme. A terra é somente um grande palco de teatro com seus atores influenciados pelos seus enigmas. A verdade é que ninguém mais sabe o que é verdade ou mentira.

Os sacos de dinheiro caíram aos meus pés. Meu Deus. Isso mudaria a minha obra com Deus, mas eu via que aquilo era somente uma prova de aceitação, oferendas e obrigações. Quem se vende espiritualmente vende a sua alma, se entrega aos caprichos de mundos distantes e sem Deus.

Falar de Deus todos falam, até os sofredores que se rebelaram contra o Cristo, mas falar em nome de Jesus é que muda a aceitação. Ele não aceita intermediários, ele fala a verdade dentro de sua obra. Quem quiser seguir com ele terá que cumprir etapas. Se no final desta contagem passarem pelos conflitos saberão o que digo aqui.

Eu não sou Deus que todos podem pedir em suas vibrações, eu sou somente um instrutor universal e não terráqueo. Muitos falam em instrução universal e não trazem nada para esta terra. Ruminar as palavras que foram gravadas todos fazem, mas mostrar o que aprenderam desta grande lição do amanhecer são poucos que eu acompanho.

A grande obra ainda vai subir aos céus desta terra. Não sei quando, mas se não for nesta vida será em outra. Este ante preparado foi uma marca solidificada neste enredo para que a justiça celestial fosse cumprida. Quem quiser chegar ao extremo de sua mediunidade tem que habilitar seu plexo para receber o cálice da fonte da vida eterna.

O princípio superior de todo missionário é conseguir abrir seus olhos para seu mundo físico e espiritual. Quem tanto quer não consegue e quem nunca desejou, verá.

Os caminhos de um espirito encarnado vem de muito longe com suas tradições e contra tempos assinados como um cheque em branco. Escreveu e não leu, o pau comeu. Ditado popular, mas que serve como ilustração de saber pedir. Como é importante para a evolução desta humanidade ter escolhas que vão da pobreza a riqueza, do poder ao fracasso.

Lutem pelo pão de cada dia e saibam que nesta terra sem luta não há progresso. Assim é com os espíritos, se não lutarem para seguir vão perecer na mesma condição. A pior coisa para um encarnado é morrer na praia e para um espirito é perder sua identidade astral.

Os homens de preto pegaram suas sacolas e foram saindo devagar, olhando para trás, para ver a minha reação. Eu fiquei no meu pensamento, eles não conseguem ler o pensamento, e isso nos dá uma certa vantagem de escolha. Pai Seta Branca não interfere nestas escolhas e nem nas decisões, cada um é livre para decidir entre o bem e o mal.

Escolha!

Salve Deus!

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

22.05.2021

Seja bem-vindo ao vale dos deuses!