LUZ DA NOVA ERA

LUZ DA NOVA ERA
Ilumine seu sol interior, ilumine, pois muitos estão barganhando com a doutrina. Os espíritos estão fazendo desta seara um covil de oportunidades degradantes, imorais e repugnantes.
O conhecimento não foi para ser negociado como moeda de troca.
A certeza de outros mundos aproveitando do nosso conteúdo já se faz presente. Deram as cartas com objetivo de promover seu poder e agora estão embaralhados sem saber qual porta seguir, sair.
Vieram negociar comigo. Vieram fazer propostas indecorosas. Eu não aceitei e não aceito me vender por umas migalhas de oferendas e nem por valor algum.
Se vissem como agem os hipócritas em seus domínios veriam a esperteza de enganar os mais cultos. A promessa de riqueza e poder abre caminho para um conflito entre dois planos, terra e céu. Homens que se venderam agora carregam seus ais sem ajuda.
Tem muitas mensagens chegando e poucos ouvidos escutando. Tem muitas bocas aberta e pouca comida entrando. Nem chega ao sol interior e já é expelida para fora. O plexo adoeceu e camuflado por paliativos tenta enganar seu médico.
Os homens da terra perderam e se perderam nos caminhos dos ventos uivantes. Um assobio tenebroso como um uivo dilacerado ecoa pelas planícies e vales trazendo angústia. O desespero começa a promover desencontros e o jaguar está preso em seus domínios. É como um grande curral com seu dono estalando chicote na saída não permitindo ninguém sair. Deprimente ação de um espírito tirano sem amor.
Vieram barganhar comigo. Eu não aceitei. Eu não aceito injustiças contra quem jurou a Deus seu coração. Eu jurei que ninguém jamais iria se contaminar por mim. Eu jurei e continuo mantendo sob a espada esta jura transcendental.
Homens desta tribo, soldados de Seta Branca, a luta agora é para reabrir o que foi fechado. A luta não é contra seres invisíveis, mas visíveis a olho nu. Aqui da terra mesmo. São oportunistas de plantão. As raízes estão sustentando o tronco. As folhas começam a cair e a secar. A grande e frondosa árvore já sente o frio que chegou soprando a intensidade de sua cobrança. Os cobradores de impostos estão enchendo seus bolsos com o choro dos menos favorecidos.
Como disse Jesus: sai daqui espírito imundo. Aqui é a casa do meu pai.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
20.05.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas