MINHAS VIAGENS

MINHAS VIAGENS
Nesta passagem fui recebido por um povo muito antigo. Homens de preto, cabelos e barbas compridas. Uns com chapéus, outros com panos enrolados. Fui muito bem recebido, muitas perguntas e respostas. Fiquei intrigado com esta viagem que atingiu um tempo passado no presente. Coisas que somente o espírito pode voltar e reformular as vidas.
Nós somos a história das civilizações que guardadas no sol interior marcam as reencarnações. Para quem nunca se lembraria nestes dias atuais, eu digo: se você olhar para dentro de si, para seu espelho interior, vai achar resquícios de suas caminhadas.
Um pouco de história.
O judaísmo surgiu em Israel há cerca de 4 mil anos. Tanto o cristianismo como o islamismo – até certo ponto – derivam do judaísmo. O judaísmo não estabelece doutrinas ou credos, mas é uma religião que segue a torá, interpretado como a orientação de Deus através das escrituras.

Os judeus vivem sob um pacto com Deus, segundo eles, não para benefício próprio, mas para o benefício de todo o mundo. O grande estudioso do judaísmo Hillel (que viveu entre 70 a.C e 10d.C) resumiu assim o significado da religião: “Não faça a seu próximo aquilo que não gostaria que fosse feito a você. Esse é o centro da lei judaica, o resto são meras observações”.
Os judeus acreditam que os seres humanos foram feitos à semelhança de Deus. Obedecer a “lei” é fazer a vontade de Deus e demonstrar respeito e amor por Deus. É por isso que judeus religiosos seguem certas práticas espirituais sem precisar de razões extra-religiosas para obedecer as regras.

Um exemplo para isso seria a obediência às leis gastronômicas do costume judaico. Todos os judeus têm uma forte ligação com Israel, que seria a terra prometida por Deus a Abraão, e à cidade considerada sagrada de Jerusalém.

Livros sagrados

A Torá, ou a Bíblia hebraica que é chamada pelos cristãos de Velho Testamento, reúne especialmente os cinco primeiros livros da Bíblia cuja autoria é atribuída a Moisés, o chamado Pentateuco. Pelo menos uma cópia da Torá, em hebraico, é guardada em cada sinagoga em forma de pergaminho. O Talmud, um compêndio da lei e comentários sobre a Torá aplicando a situações contemporâneas e circunstâncias variadas.
O símbolo do judaísmo é o magen chamado de estrela de Davi. Muitas pessoas se consideram judias sem tomar parte em nenhuma das práticas religiosas ou até mesmo sem aceitar os fundamentos do judaísmo, mas somente pelo fato de se identificarem com o povo judeu e por seguirem os costumes gerais de um estilo de vida judaico.

Festivais 

No judaísmo, o chanuká, o festival das luzes, é comemorado com a preparação de tradicionais bolos de batata e muitas velas acesas. O chanuká é interpretado hoje em dia como um símbolo da sobrevivência do povo judeu. Panquecas de batatas, Latkes, um dos pratos preferidos para o Chanuká.

Em países cristãos onde o Natal é a festa mais importante no fim de ano, o chanuká tornou-se uma espécie de equivalente judaico. É comum presentear as crianças nessa época.
Deus e o Messias

Os judeus acreditam na existência de somente um Deus que criou o universo e continua responsável pela sua manutenção. Segundo o judaísmo, Deus sempre existiu e sempre vai existir. Ele não pode ser visto ou tocado.

Entretanto, Deus pode ser conhecido através do louvor e se pode chegar mais perto de Deus através de estudos e a prática da fé. Deus separou os judeus como povo escolhido para servirem de exemplo para o resto da humanidade.

Deus deu a torá aos judeus como uma guia para obediência e uma vida santa que Ele quer que os judeus tenham. Os judeus acreditam que “o Messias”, que é uma pessoa especialmente ungida por Deus, (o que significa particularmente enviada) um dia virá ao mundo. A chegada do Messias vai trazer consigo uma era de paz.
Definição de Deus

Para o judaísmo, Deus existe e é somente um. Ele não pode ser dividido em diferentes pessoas, como se crê no cristianismo. Entre os outros princípios dos judeus em relação a Deus, estão:

– Judeus devem adorar somente um Deus e não outros deuses.
– Deus é transcendental, está acima de qualquer coisa.
– Deus não tem um corpo, ou seja não é masculino, nem feminino.
– Ele criou o universo sem ajuda.
– Deus é onipresente e onipotente.
– Deus é atemporal. Sempre existiu e sempre vai existir.
– Deus é justo, mas também é misericordioso.
– Ele é um Deus pessoal e acessível. Deus se interessa por cada um individualmente, ouve a todos individualmente e fala com as pessoas das mais diferentes e surpreendentes formas.

Nunca critique as origens, pois você pode ter feito parte. Nossas origens transcendentais estão marcadas no grande livro de ouro. Nem todos tem a chave.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
16.05.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas