MERECIMENTO

MERECIMENTO
Fui a um lugar muito triste, era como uma favela, mas aqui na terra dizem comunidade. Lá eu vi o tal merecimento que tanto falam, que eu também repito algumas vezes nas entrelinhas.
Cheguei. Era um lugar desolado, não tinha luz, viviam dos poucos clarões que aconteciam pelo choque das energias. Mesmo assim eu ainda conseguia ver.
Chegou um rapaz moreno claro pedindo ajuda. Ele não queria ficar mais ali, era muito sofrimento. Não tinha ninguém com ele e assim me convidou para ir até onde morava. Fomos. Chegando em um pequeno barraco de duas águas ele foi logo abrindo seu coração. Eu olhava aquela construção em meio as outras, ela era ainda melhor, as outras eram mais pobres que a dele. Parecia um campo de concentração, tudo empilhado, um colado na parede do outro.
_ Me ajude! Eu preciso ir embora daqui! Eu aceito minha dor, mas por favor, me leve com você!
_ Salve Deus!
Eu calei diante da minha visão, minha pobre visão, pois vejo neste homem o caminho de muitos da terra que sem merecimento terão somente o necessário para reconhecer seus ais.
Parecia noite, todos dormiam, ele estava só. Aquele lugar ainda era melhor de outros mais sofridos. Se vocês vissem pelos olhos do espírito nunca duvidariam dos reencontros fora da matéria. Para ver basta abrir os olhos espirituais que adormeceram pela missão carmica.
Eram milhares de barracos espalhados por aquele vale do merecimento. Os que nada fizeram vêem para cá tentar resgatar tudo que não fizeram em vida com o sol e com a lua. Tinham tudo em mãos, mas perderam sua rica oportunidade de mudar o destino do espírito.
Na terra dos inconscientes é mais fácil viver sem compromisso, mas depois vem a razão que não tem como fugir dela. A encarnação já é um compromisso com a terra. Nascimento, crescimento, velhice e morte. Seria tão mais fácil para todos conciliar os objetivos materiais com os espirituais. Haveria equilíbrio.
_ Meu irmão, eu vou ver como poderei te ajudar! Eu respeito a sua dor, mas somente Pai Seta Branca poderá lhe estender a mão! Comece por você mudando sua vibração, sua energia! Vibre com estes que aqui também estão perdidos! Comece a caridade por aqui, pelos seu lugar! A caridade é assistida e tão logo poderá ganhar seus bônus para ir para outra faixa mais esclarecida! Entendeu!
_ Acho que sim! Se eu ajudar estes espíritos daqui vou poder sair daqui!
_ Sim! Vai receber seu merecimento!
Ele olhava tudo aquilo em volta e balançou sua cabeça positivamente. Eu pensei que ele não aceitaria, mas ao virar suas costas para mim foi até seu barraco e abriu as portas.
Bem aventurados os que tem sede e fome de justiça. Esta inscrição foi colocada por ele na entrada. Houve um pequeno tremor. Não foi assustador, mas algo começou a mudar. Eu só fiquei com receios dele não conseguir ajudar, dele ser invadido por forças divergentes. Mas, que Deus o ajude nesta trajetória do missionário. Ser missionário não é fugir das dificuldades, é aceita-la como recompensa das vidas mal vividas. Se teve coragem de tirar dos outros o que não lhe pertencia agora estão tirando tudo que lhe pertence.
Eu voltei, mas ainda olhei ao longe e vi uma pequena luz crescendo. Era como a chama da esperança. Algo que desconhecemos nesta terra das mil oportunidades. Choramos as incompreensões do destino e esquecemos de nós nesta curta faixa terrestre.
Está aí, meus irmãos, o tal merecimento que falamos tanto. Se você tiver merecimento do tamanho de um grão de areia pode se considerar rico.
Sejam conscientes.
Ela voltou e já deu sinal da sua primeira incorporação inconsciente. Quando chegar a hora tudo irá se esclarecer.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
06.03.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas