PRESSÃO

PRESSÃO
A mediunidade desenvolvida é uma bênção do céu. Mas temos diversas mediunidades que vem com cada pessoa. Elas se desenvolvem pela expectromia molecular do sol interior. São coisas que o espírito traz em sua bagagem transcendental. O que eu sinto em mim é como um vulcão prestes a explodir. A mediunidade tem poder de alterar a musculatura do físico para agradar ao espirito na sua expansão.
O espírito expande gradativamente a sua órbita crescendo em fenômenos da antimatéria. Eu tenho o meu canal sensorial desde muitos milhares de tempo quando tudo era magia. O mago dominava o poder da matéria impregnando ou retirando a essência necessária para realização do culto secreto. Secreto por não ser compreendido e julgado fora do contexto litúrgico.
Os celtas, magos, eram dominantes na esfera manipuladora do eu fora da matéria. Então, partindo da razão suprema a aplicação do todo num pequeno ser o tornaria Deus pela hierografia humana.
A mediunidade foi dividida em dois parâmetros para poder suportar a extensão de suas bases, positiva e negativa.
É nesta questão rudimentar que reside a falsa idéia de dominação, a magia não tem domínio, ela é livre por ser natural. O vento, as águas, a terra, tudo isso é um poderoso veículo de expansão. Eu vivo a terra expandindo o sol interior para receber o vento suave em minha face. O vento traz noticias do além que forma lindas mensagens ou acarreta no acúmulo da energia no eu interior.
Expandir ou regredir. Eu sinto as variações climáticas dos espíritos, é muita dor resumida na ânsia de se livrar dos percalços sem anestesia. Das entranhas da terra vem o bálsamo suave da prosperidade. Sopre a terra e molhe com água deixando crescer.
Eflúvios de ouro e prata. Eis a maior riqueza que temos.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
04.02.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas