RODOVIÁRIA UNIVERSAL

RODOVIÁRIA UNIVERSAL
Mais uma viagem, mais uma missão, mais aprendizado.
Voltei por amor por aqueles que decidi ajudar, sim, ao jurarmos um compromisso espiritual e chegando na terra tudo foi preparado para nos receber. Pai, mãe, irmãos, família, amigos e inimigos.
Nesta viagem eu retornei a grande rodoviária universal. Ela é tão grande que você acaba se perdendo. Mas eu tinha um objetivo, conhecer. Fui entrando nas filas e ali eu tinha a oportunidade de falar com os espíritos. Saber de cada um tudo, saber quem eram, qual destino, o que pensavam.
Eu vi centenas de milhares de desencarnados nas longas filas e os fiscais que orientavam o destino. Espíritos novos e velhos, portanto deficiência ou não, cada um com sua particularidade. Eu vi um rapaz que havia acabado de chegar da terra. Ele era deficiente. Esta marca ele adquiriu nesta encarnação. Foi irresponsável com sua vida e desencarnou em um acidente. Seu corpo ficou mutilado e ao passar para o outro lado levou consigo a sua dor.
Ele estava nesta fila. Eu, porém, tinha passe livre por estar transportado da terra. Os filhos de Seta Branca tem esta permissão.
Eu cortava as filas que subiam e desciam as enormes plataformas. Quando entravam nos transportes já tinham lugar certo. Eu diria, transportadores, pois era tudo diferente. Muito grande para atender ao suplício dos viajantes.
Eu havia me perdido, entrei num transportador conversando com o rapaz conhecido. Ao sentir a movimentação pedi para descer e de imediato fui atendido. Como eu não sabia onde estava fui pedir ajuda ao fiscal. Com muita educação ele foi me esclarecendo. Estes fiscais são orientadores, são missionários.
Ao observar a imensidão de onde eu estava eu digo, isso é a mão de Deus, de Jesus.
Ao voltar para a rampa que viria para a terra, eu encontrei muitos vindo visitar. Estavam voltando para o planeta, saudade. De onde eu estava não via terra, eu somente sabia que ela estava em algum lugar abaixo dos meus pés. Por ser etérico plano divino eu apreciei esta viagem, pois não é a primeira vez que cruzo este mundo.
Senti uma leveza, estávamos se movimentando. Quando o transportador cruza as faixas a gente sente mudar o padrão vibratório. Cada faixa é diferente. Chegamos, agora estávamos na crosta e dali cada um tomaria seu rumo e todos acompanhados.
Eu abri meus olhos e já no meu físico relembrando tudo. A capacidade de guardar as memórias do astral é um segredo do espírito. Cada pessoa tem um destino programado conforme pediu. Eu pedi uma missão e fui contemplado com uma. É tão lindo e maravilhoso servir com amor a terra e ao céu. Se todos pudessem contemplar isso tudo a terra hoje seria um paraíso.
A missão de Seta Branca é preparar este povo para a grande obra, eles não tem tempo a perder. As mesquinharias ainda são o entrave dos jaguares. Liberdade, caridade e conhecimento.
Sem conhecimento não há evolução. Conheça a ti mesmo ou será engolido pela ignorância mediúnica.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
25.01.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas