FESTA SURPRESA

FESTA SURPRESA
Ao voltar da missão eu cheguei na terra, mas tão logo me desliguei novamente e fui em uma recepção. Era uma festa em que eu era o convidado. Muitos conhecidos e outros visitantes, amigos. A velha tradição estava também presente.
Muita alegria, ali ninguém estava preocupado com os vícios da encarnação, queriam mesmo agradecer a minha mudança. Mudança especial quando existe consciência, quando o ser sai de uma roupagem e se reveste de outra, um pouco mais luminosa. Isso que se chama evolução, é o espírito ficar luminoso, não é bem iluminado, pois ainda carrega seu fardo.
A mulher negra que fez os manjares era da casa grande, ela trabalhou diretamente preparando a comida. Ela até fez um manjar que seria na terra doce de banana. Ela me chamou em separado e escondido no alto me mostrou.
– Meu senhor, este eu fiz especialmente para o sinhozinho!
Eu logo cortei e me deliciei. Outros acabaram sentindo falta e foram me procurar. Me viram sentado à grande mesa e sentaram juntos. Eu reparti o pouco que sobrou. Vocês não podem imaginar o que seja este manjar, eu sinto seu gosto até aqui na terra.
Todos que ali estavam fizeram parte da minha vida e em várias delas. O agradecimento foi porque as pessoas podem mudar seus destinos, amando e sendo amadas. Se compreendessem esta passagem veriam um mundo mais belo sem medo de enfrentar as suas dificuldades.
Foi muito bom, eu só tenho a agradecer tudo que recebi na transição do espírito. O conhecimento de tudo que é bom nos liberta do mal e do preconceito. Saba.
Ser sociável espiritualmente abre outras portas que nos leva ao nosso compromisso.
Voltei. A festa estava muito boa. Agradeço a Deus por me mostrar estas verdades.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
25.01 2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas