ENTREGA DAS ARMAS

ENTREGA DAS ARMAS
Eu estava sentado aqui na varanda com minha esposa quando um vulto negro desceu para o templo, bem antes de começar os trabalhos. Aquela vibração de algo estranho no ar era o pensamento da ninfa que já estava planejando entregar suas armas. Demorou algumas horas e tão logo ela surgiu com uma sacola e foi ao templo depositar aos pés de Seta Branca.
Eu fiquei observando como age as heranças transcendentais, vieram primeiro preparar a chegada para depois esperar ela sair pela porta. Ao sair da casa de Seta Branca todos gritavam de felicidade, pronto, conseguiram seus objetivos. Eu só desejo muita paz e amor, que seja muito feliz. Que realmente encontre o que procura, talvez ainda seja cedo para conhecer seus ais.
Aquele vulto era a sua dor, a sua evolução. Quisera nosso bom Deus que tudo fosse resolvido aqui no solo sagrado, com respeito a nossa grande missão, amar a Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a ti mesmo.
Um dia, uma noite, as responsabilidades voltam a ser conquistadas.
Pai João veio com princesa Samara abençoar esta pequena tribo.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
15.01.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas