CANAL VERMELHO – PARTE DOIS

CANAL VERMELHO – PARTE DOIS
Subi de novo e agora o espírito estava laçado.
Aquela corda foi para esta finalidade, amarrar aquele sofredor.
Eu estava conversando com pai Joaquim sobre o porque destes filhos de Seta Branca no Apurê do Amanhecer não tem interesse em ajudar o templo na parte material. Estava meio chateado, aí o preto velho me deu uma doutrinada.
_ Sabe fio! Jesus não foi aceito pelo povo que pediram sua morte! Esta casa é de Jesus, por isso o mesmo povo de lá aqui está e eles nunca vão ajudar! Podem levantar uma pedra, mas as demais estão jogadas pelo caminho! Estas pedras do caminho poderiam levantar esta casa toda, mas eles preferem tropeçar nelas a que retirar! Foi amenizada muita dor, mas não foi retirada! Entendeu meu filho!
_ Salve Deus!
Eu estava chateado mesmo, porque eu queria tudo diferente, eu queria simplicidade, queria humildade, mas vejo que os corações não superam as suas necessidades.
Nesta conversa chegou o ministro Apurê, radiante de luz e logo foi amenizando meu coração.
_ Salve Deus meu Adjunto representante, filho jaguar, filho de Neiva, de Seta Branca vosso pai! Eu estou vendo tudo e todos! Eu vou te levar para uma nova missão! Salve Deus!
Eu baixei minha cabeça em respeito a sua presença, pois era tanta luz que ofuscava a visão. Eu confio muito no pai, eu confio no ministro e na espiritualidade maior. Meu cavaleiro está empenhado nesta mudança, está preparando tudo. Nada se perderá.
O espirito preso foi levado dali.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
09.01.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas