ENDÊMICA

ENDÊMICA
Eu fui mudar um destino para no futuro tudo ser diferente.
Ao chegar neste local o povo estava contaminado pelo mal. Era uma taberna e a minha missão era tirar uma mulher que foi escravizada pelos bárbaros. Ali eu notei algo estranho, eu até poderia dizer que são espíritos endêmicos, doentes, foram acometidos por uma epidemia molecular física e levaram para seus espíritos esta transmutação. Ninguém sabe a origem desta mudança.
Ao chegar eu coloquei minha capa sobre a cabeça para não ser notado e poder entrar. Lá dentro os espíritos eram horrendos, sem forma definida, se tratavam como animais. Fui direto onde a mulher estava, era a única ainda normal e mostrando a saída ela correu. Correu tanto que desapareceu. Pronto, ela estava livre.
Ao ver em volta estes espíritos enfermos estão presos a esta faixa magnética. Se eles conseguirem sair trarão muita dor para a terra. A missão de tirar esta mulher dali foi para inibir que ela abrisse a porta e eles passassem. Ela fazia tempo que estava tentando fugir e por isso foi resgatada sem deixar vestígios.
Diria ser uma mutação o que vi. Mas porque, ou o que ocasionou? São perguntas que ainda terão respostas. Eu dei nome de raça endêmica, porque eles são provas que os espíritos podem sofrer mudança em seus habitats. Eles ficaram expostos a uma radiação localizada.
Tudo é bom para nossa evolução. Mestre Humahã
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
03.01.2020

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas