SISTEMA INTERPLANETÁRIO

SISTEMA INTERPLANETÁRIO
Diríamos que tudo é simples, mas de uma complexidade muito além da vida.
Quando viemos para esta missão tratar de um assunto a pedido das famílias espirituais eu ouvi mais que falei, até porque são individualidades se organizando em pequenas células.
Aquela família se dividiu e no mesmo sentido as futuras gerações poderão fazer o mesmo. Foi nesta geração que eu quero quebrar os equívocos que surgiram alimentando as velhas richas de vidas mal vividas.
Formei meu silêncio pela grande Cassandra que rege o terceiro sétimo e distribuindo mentalmente na consciência das personalidades atuei no modo de ampliar o horizonte daqueles espíritos.
Os jovens podem mudar o futuro, sim, e é nestes que eu acredito. Os velhos humanos estão com suas auras como couro de jacaré, duras, de tanto levar bordoadas já não sentem os efeitos das palavras de amor e perdão.
Fomos então reviver a cidade, fomos sair um pouco da questão, pegamos as jovens colocamos no carro e fomos passear.
Soube que meu velho amigo Mestre Casagrande estava morando em Irati. Tentamos contato e não fomos bem sucedidos, parece que um problema de saúde o afastou para tratamento. Eu respeitei esta transição e desejo a cura física e espiritual para ele. Mas mesmo assim eu queria lhe dar um grande abraço de irmão, de amigo, de companheiro de muitas jornadas.
O mundo da muitas voltas ao redor de nós mesmos e sempre acaba parando no mesmo ponto de partida, o recomeço. Não existe fim, existe somente meio termo que se chama lapso temporal. Um quarto de tempo variando entre dois pontos.
Como eu recebi um comando maior de uma família espiritual, aqui na terra eu apostei na liturgia dos enredos da união. Sei que neste estágio há uma variação pelos anos de divisão e não é da noite para o dia que veremos o sol resplandecer sobre as mentes atribuladas, mas tenho respostas para a família de origem. Eu abri uma porta fechada e agora eles poderão chegar com mais facilidade. Quando as pessoas se fecham para si mesmas nem Deus encontra acesso. Há que haver uma intervenção indireta, por meios até duvidosos, desfazer para refazer. Foi o que fiz, indiretamente distribuí na rama os efeitos da cura das raízes. Espíritos de velhos algozes tentando reanimar as velhas estradas. Somente Jesus é a nova estrada. E Jesus é amor e perdão.
Nossa missão é o nosso sacerdócio.
Quem sabe após esta viagem os reflexos da paz desçam.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
31.12.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas