CATALEPSIA

CATALEPSIA
Nós somos cientistas espirituais e não religiosos obscuros.
Fui levado a uma igreja protestante pois o filho do pastor havia morrido. No altar perto do púlpito colocaram o pequeno caixão e todos gritavam desesperados com suas crendices em orações e cantorias de louvor. Os mentores não podiam entrar em respeito a ideologia e se mantinham a distância, pois não queriam tirar desta igreja seus méritos.
Esta criança não estava morta, estava em choque, um obsessor se apoderou do físico e não deixava o espírito voltar. Cheguei em um momento crítico, o pranto dos pais fortalecia o ódio do espírito cobrador. Ele se deliciava ao ver tanto sofrimento.
Aquele anjinho vestido de terno azul claro seria enterrado vivo.
Eu cheguei perto do caixão e vi o obsessor se revirar dentro da matéria. Ele havia possuído o pequeno Ismael, nome escrito no púlpito de pregação. Olhei em volta e percebi que este líder evangélico era ferrenho em sua discriminação religiosa contra outras religiões. Um homem duro em julgar, não havia amor, havia crença que só ele estava certo.
O espírito da criança estava ao lado do corpo, ele me viu quando peguei suas mãos retirando o obsessor fazendo a troca. Naquele exato momento ele respirou e abriu seus olhos. Gritou pelo pai e pela mãe. Eu me afastei, fiquei ao longe olhando a gritaria em louvor a Deus. Pai Joaquim estava me aguardando para voltarmos. A igreja virou uma festa de renascimento.
Eu percebi nesta viagem que a religião é a maior arma de destruição social. Todos querem defender seu credo e ninguém respeita as demais. Nós vivemos 450 anos de uma inquisição tão violenta e desnecessária por acreditar que seriamos salvos. Pura ignorância humana.
Mas todos ainda são parte deste sistema desumano, olham para a imagem e não para o coração. Coração dos outros é terra que ninguém anda.
Conforme íamos nos distanciando os gritos iam ficando abafados.
Chegamos de madrugada em casa e tão logo me vi na minha simples vida de jaguar.
Estas aulas presenciais marcam um momento de mudanças, de explorar a vida além terra. Porque o homem se apega tanto as suas necessidades materiais sem valorizar seu eu interior. Eu vejo assim, o equilíbrio das coisas, dosar, o melhor remédio para todos. Se você deseja ter seus sonhos realizados não esqueça que tens que dimensionar seu espírito também. Não só o corpo físico, mas sua alma. E seu espírito só ficará bem se tiver energia positiva.
Vejam, nós produzimos energias diversas, umas boas, outras ruins, e se não manipularmos elas vão se desencontrar. Aí vem as doenças fazendo a pessoas repensar sua vida. Só neste momento se lembra de Deus.
Tudo é energia.
Um enfermo pode se curar pela fé, é que muitas vezes a negatividade da doença não o deixar acreditar em si mesmo.
A doença é negativa, a felicidade é a cura.
Nós somos diferentes, nossos plexos são iniciáticos, não somos religiosos, respeitamos quem é, nossa meta é valorizar a vida, tanto terra como céu. Essa é a grande diferença quando se tem conhecimento. O conhecimento da verdade, de tudo que é bom nos liberta do mal.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
26.12.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas