PRISIONEIROS ESPIRITUAIS

PRISIONEIROS ESPIRITUAIS
Que povo estranho.
Existem mais coisas entre o céu e a terra que possamos imaginar. Como deste povo que hoje cobram suas vidas.
Era uma cidadezinha no canal vermelho, um pouco atrasada no princípio da fé, pois ainda vivem o martírio dos inocentes e não acreditam em Deus. Como eu mesmo vi, se Deus existisse teria poupados todos de um genocídio. Porém, este mesmo povo causou outro genocídio que levou a este desencontro.
É a tal bola de neve que vai crescendo conforme vai descendo para mundos inferiores.
Eram enormes pavilhões e muitos espíritos ainda viviam na sua roupagem, uns como crianças, outros adultos e outros velhos. Nesta caminhada eu encontrei com uma criança, Jacob, ela não levantava do chão, suas pernas foram quebradas. Quebradas por ser uma criança levada, que gostava de brincar. Criança é criança.
Ele vinha e ficava sob minha sombra querendo proteção. Eu lhe dei toda minha atenção, fiz de tudo para alegra-lo, mas seu olhos tinham a tristeza, a dor profunda. Ele rastejava a minha frente com muita dificuldade, ia abrindo caminho, todos o obedeciam, pois mesmo criança era respeitado.
A cidadezinha era diferente no aspecto dos pavilhões, mas em torno as edificações foram se erguendo tentando esconder esta passagem.
No canal vermelho estas aberturas são espaços criados para abrigar os espíritos que sofreram alguma derrota na terra. Não tem como uma cidade ser vizinha de outra, são separadas por um campo espiritual. Pode até serem vizinhas, mas uma não vê a outra. Cada uma vive a sua evolução ou revolução.
Tia Neiva disse em uma aula, meados de 1980, que iria chegar uma epidemia na terra por aquele povo de Hiroshima e Nagasaki, e assim a AIDS chegou. Será que a terra está livre de outra manifestação. Será que teremos outra dor a mais que já carregamos.
Nós carregamos nossa cruz conforme nossa necessidade. Ela pode ser leve ou pesada, tudo vai do entendimento mediúnico.
Povo de Judá.
Há muita história contadas que referem aos fatos desde antes de Cristo, entre as tribos que dominavam as regiões.
Leão de Judá Leão de Judá é uma expressão bíblica usada por cristãos para fazer referência honrosa a Jesus Cristo. A expressão tem origem no livro do Apocalipse: “Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos.”
Estes ensejos milenares ainda se perpetuam no calabouço espiritual. Uma forma de trazer a tona os resquícios de um caminho a ser trilhado por muitos humanos atuais.
Ser prisioneiro da espiritualidade maior quer dizer tudo ao mundo invisível que cerca. Ninguém sabe onde, como, e quando, só sabe que carrega sua ataca protegido pela guarda pretoriana, os imortais de Amon-Rá.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
03.12.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas