PACTO

PACTO
Recebi um convite para quebrar o pacto.
Como está sendo difícil para os filhos de Seta Branca manterem seus corações livres das tentações. Estão sendo torturados a ponto de perderem o caminho da fé e entregar suas espadas por também sair do princípio superior.
Esta noite os espíritos emissários vieram com propostas de me tornar mais um assecla entre os milhares existentes. Estão querendo acabar com este amanhecer infiltrado gente sob seus comandos, como aconteceu aqui comigo, mas eu não entrei no padrão. O mal não encontrou força e tudo se desfez.
O que o mal quer é o desentendimento, é plantar a semente do ódio e fazer crescer no seio da doutrina os seus filhos.
Ao receber o convite eu fiquei observando a atuação deste povo. Elogios, muitos elogios, pois é na vaidade que eles conseguem tudo. As obras de uma sacerdotisa a beira da loucura humana.
Como eu respeito este caminho, sim, por várias vezes Seta Branca vem afirmar meu compromisso com esta obra. Por eu ter caminho livre para ir e vir as forças do mal querem mais um adepto. Vocês não podem imaginar o que está acontecendo, se pudessem ver a atuação direta sobre o comando veriam as razões para ter cautela.
Quem vai quebrar o pacto serão os descendentes diretos da obra, estes filhos do sol e da lua. A caçada já começou. Se dizendo defensores das leis as portas se abririam para o embate direto.
Se segure quem tiver juízo e sejam iguais óleo e água, não se misturem. Deixem a cargo do mentor desta doutrina tomar as medidas necessárias, como ele mesmo me falou:
_ Meu filho! Ainda não é hora das espadas se cruzarem no tilintar do aço e no brilho da violência! A hora do jaguar vai chegar!
Eu parei para analisar estas palavras e cheguei a conclusão que somos peças de um grande tabuleiro. Mãos hábeis nos conduzem de um lado para outro. Se seguir corretamente você sai vencedor e senão, perde sua encarnação.
Agora o grande pacto está sendo quebrado pelos filhos e não pela mãe, mas pelos os legítimos herdeiros que são os doutrinadores.
A discórdia foi plantada pelo primeiro e chegou ao último degrau.
Quando eu vi aquela imensa noite escura que parecia querer engolir tudo eu voltei. Eu saí pela tangente e fiquei ao longe prestando atenção na continência dos soldados sendo assediados e arrebanhados.
Como é triste um jaguar perder sua linha mestra. A loucura se torna perseguição dos membros por pensar estar fazendo certo.
Mas quem está certo: Deus ou o homem!
Os emissários voltaram sem me atingir, não conseguiram me coaptar para me unir aos seus desejos.
Eu tenho uma missão de mostrar os enredos fora da matéria, coisa que muitos combatem por não terem esta liberdade de atravessar o neutrôm consciente. Só que muitas vezes as vibrações são tão pesadas que me adoecem e aí eu recebo uma bênção do pai me dando coragem, retirando a carga e livrando todos do mal.
JAGUARES! NÃO QUEBREM O PACTO!
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
30.11.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas