DESENCARNADOS

DESENCARNADOS
Ontem o quadro espiritual estava a todo vapor. Espíritos já desencarnados mostrando que ainda estão presos a dimensão de suas dores. Teve uma mulher que já desencadeou a uns 50 anos da terra e ainda está perdida. Eu a conheci quando criança, ela era bem simples, mancava de uma perna, trabalhava fabricando doce de caixeta. Ela chegou sorrindo, pois me reconheceu, e dizendo seu nome logo foi entrando na fila do atendimento. Vejam bem meus irmãos, as filas são enormes e cada noite aumentam mais. Eu estava sentado me preparando para ajudar. Ao ficar em pé eu dava o passe magnético aliviando a dor dos espíritos. Lá o passe não são três toques, um somente na testa. É como transportar a energia do seu eu para outro. Por isso devemos trabalhar na casa de Seta Branca para obter a energia que vamos precisar.
A dona Sílvia entrou nesta longa fila e de lá eu via sua face me olhando. Não podia cortar a fila, haveria confusão.
Não sei por quanto tempo eu estive trabalhando neste campo espiritual, mas alguns minutos valem uma eternidade, como foram horas da terra, muito trabalho foi feito.
Aí, chegando na terra, eu vejo as discussões a respeito do amanhecer. Vejo quão inútil muitos jaguares se tornaram. Estão com seus tornozelos presos ao compromisso carnal. As Brigas pelo poder, as desuniões no altar da presença divina. Isso só vai complicar a encarnação destes mal amados. Aqui na terra todos voltaram suas costas para o sol.
As filas estão crescendo e os jaguares bobeando em suas missões.
A terra está bem assistida, agora os desencarnados estão esperando.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
29.11.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas