MISSÃO

MISSÃO
Fui e voltei! Voltei por não saber amar! Jesus!
O meu reino não é deste mundo, a minha missão é o meu sacerdócio. Foi nesta viagem ao nosso mundo encantado que tudo se confirmou. Aqui na terra são poucos os compromissos que tenho com os encarnados, mas no campo espiritual é diferente, são milhares de seres esperando a sua hora de chegar.
Este pequeno povo do Apurê são na verdade meus reais contemporâneos, são parte de um caminho de realizações, onde eu e minha companheira fazemos de tudo para ajudar, pois também precisamos de ajuda. Ninguém pode ser feliz sozinho.
Eu parto com minha escrava, que aliás, abre os portais para minha passagem, e lá estabelecemos o recomeço da jornada.
Ao chegar, milhares de espíritos estão aguardando a chamada, é nesta condição que as missionárias vão abrindo os portais.
Ao entrarmos no veículo que se transporta pelos canais sensoriais nós nos asseguramos que temos a proteção dos Anjos e Santos Espíritos.
Sabem do Sermão da Montanha, pois bem, ao descer sobre a elevação dava para ver do alto a multidão comprimida pelo pequeno espaço. Meus irmãos foram abrindo caminho para o Mestre Jaguar passar.
De onde estávamos nós alcançamos até o último ser em seu coração. Como é lindo este caminho de regresso, mas agora voltando por saber amar. Amar o belo e o feio, o anjo e o demônio, sabendo distinguir as duas forças. Amar o belo todo mundo ama, porém amar o feio, eis a questão. Mãe Iara.
Os pequeninos seres convivendo sob a armadura condicionada do homem pagão. Por isso que estamos formando o pequeno pajé, para trazer os benefícios da evolução a estas crianças especiais. Especiais são espíritos compromissados com a verdade.
Fomos e voltamos, agora o retorno foi mais feliz, pois a realização desta missão deixou todos com o coração cheio de esperança. Nem todos podem ir sem acompanhamento, pois não levam seus novelos de fio para marcar o retorno.
Eu digo que o sistema cristico é muito grande, três vezes maior que a terra. Seria como se o planeta Capela estivesse abraçando a terra.
Meu povo nesta dimensão material são poucos em relação aos espíritos que trabalham comigo na minha linha. Porém, estes poucos são da minha origem, são os que batem de frente com as dificuldades sem medo de serem felizes.
Aqui eu faço tudo que posso junto com minha ninfa para trazer o conforto aos meus irmãos. Dois pólos a serviço de Seta Branca nosso pai.
Chegamos, todos estavam recompensados, sorriam de felicidade. Cada um foi deixado em seu lar e nós voltamos para casa.
Missão cumprida.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
28.11.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas