FAMÍLIA

FAMÍLIA
A família é o elo mais respeitado por Seta Branca. Em uma família existem os ajustes e reajustes necessários ao bem evolutivo daquele circulo de espíritos.
Numa família existem os que já foram e os que ainda virão, mas, exemplo, eu quando chego em um lar, primeiro peço permissão para entrar, depois a minha permanência dura sete dias. Nestes sete dias a amizade ainda se torna mais forte, mas passando este período as coisas vão se agravando. Existe a interferência das heranças transcendentais que vão atuar na cabeça de quem não sabe sobre esta lei dos sete dias.
Uma grande amizade pode se tornar uma inimizade profunda que pode perdurar por até milênios. Eu conheço esta lei dos espíritos ligados ao berço, é como das famílias espirituais. Nas famílias espirituais não existe inquilino, pois eles não se convidam, digo, de outra família não tem permissão de se alojar no seio de outra.
Eles são íntegros e não cruzam seus pensamentos.
Um dia eu estava aqui no templo e vi uma movimentação estranha, era um reencontro familiar. Seta Branca fechou a redoma de energia em cima do templo. Logo ele veio com Iara e neste reencontro trouxeram meu irmão espiritual que mora num sítio na Espanha. Ele é lavrador, planta arroz. Tem três filhas, como eu, e vive no seu mundo material. Ele está reencarnado lá.
Foram horas de conversa, porquê este episódio mostrou o quanto os laços são necessários para o conhecimento.
Eu estou aqui escrevendo e um espírito está me observando. Ele já desencarnou, morava em Brasília. Me pediu este favor de contar esta história, porque ele vai deixar o inquilino doidinho. Ele ta vendo a interferência no lar que o abrigou quando em terra.
Eu não posso dizer quem é, mas logo a pessoa inquilina vai sentir os efeitos de sua presença.
Eu prefiro ir para um hotel caso tenha que ficar por mais de sete dias. Uma semana é suficiente para resolver os problemas. Mas tem um porém, existe um tal turismo missionário, onde todos só querem ser servidos. Quando alguém vem da grande casa para algum templo, eles querem do bom ao melhor, querem passagens, querem tudo. Agora, quando um jaguar vai de um templo para a casa grande, nenhum destes favorecidos lhe dão acolhida. Se quiser pague pensão, senão, nem viaje.
Agora, tem sempre os conviteiros que não respeitam as leis da família e se tornam donos palpitando sobre tudo e todos.
A maior complicação é não ter voz para desfazer o mal. A maior dor é não respeitar quem vive sob o teto que regulamenta os laços espirituais.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
25.11.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas