IRONIA DO DESTINO

IRONIA DO DESTINO
Uma vez em uma historia vivida e contada sobre uma ninfa que desenvolveu aqui no templo eu fui escrachado por ela. Era uma linda história, mas a incompreensão cegou e ela partiu para agressão verbal e mental.
Ela seguiu outro templo e vivia a criticar. Um dia ela retornou com sua filha dentro de um quadro obsessivo, no templo que frequentavam não conseguiram o perdão. Vieram aqui comigo para resolver este impasse. Fiz um trabalho especial milenar para assistir esta cobrança e só assim o espírito se afastou da ninfa lua. Ela recobrou sua paz interior e nunca mais as vi, mãe e filha. Devem estar me criticando como sempre fizeram, mas faz parte de nossa missão ser julgado.
Eu não espero troco, não espero gratidão, espero consciência.
Que sejam felizes aonde estiverem.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
06.10.2019