ARCÁDIA

ARCÁDIA
Chegou aqui um arcadiano me julgando como sendo a pior criatura deste universo. Tudo porque foi evitado uma cobrança carmica que o deixaria com seqüelas eternamente.
Ao ele ser atendido dentro da magia de Delfos seu quadro espiritual estava marcado com a morte. A morte de um ser qual traria para aquele povo muito sofrimento, pois ele era líder e mantinha todos unidos, seria desastroso. Foi então que sua sentença foi absolvida, porém, lhe foi dito a verdade sobre sua morte. Houve um choque compreensível até que o tempo decidisse mudar o entendimento. Dela para cá seus pensamentos mudaram a forma de acreditar, pensou ser mistificação, falsa profecia, e somente esta madrugada ele veio me cobrar. Mil anos passaram e aquele feito ainda estava gerando dúvidas.
Dizer ou não dizer, eis a questão!
Foram terrível as acusações de charlatanismo, de falso profeta e nas minhas mãos a caixinha pulava para sair. O carma fora guardado para evitar o desencarne. Eu poderia ter aberto e deixado acontecer, mas não, eu seria também uma vitima deste erro.
Como é complicado o ser humano que pede ajuda, recebe e depois te julga pelo que foi retirado do seu caminho. Eu aprendi uma grande lição, ajudar sem participar. Foi isso que agora mudou os conceitos do entendimento espiritual. Ninguém pode deixar de pagar por suas juras transcendentais. Aquele que quiser mudar seu destino deverá assumir com respeito a sua devoção.
Eu somente queria ajudar um homem que faria muitos sofrerem pela sua ausência e agora ele veio cobrar pelo que não aconteceu.
Enquanto ele me esculachava a caixinha pulava em minhas mãos. Ao vomitar tudo que estava preso no seu coração ele virou as costas e foi embora. Eu fiquei com a energia do julgamento.
Por isso meus irmãos, o julgamento é terrível para quem é julgado. Não para o acusador, mas para quem recebe. Quem acusa esquece, quem é acusado jamais.
O principio superior de todas as coisas é o respeito, enquanto não aprendermos a nos respeitar seremos os escravos das velhas estradas.
Procurem conhecer Arcádia, muitos de vocês estiveram lá. A felicidade de um povo pela responsabilidade de um mago que nunca deixou de manter a ordem, a vida e a felicidade. Ficou somente como lenda esta história, até que esta madrugada tudo fosse revelado. Somente um estava descontente, pois achava que tudo foi mentira.
Eu vejo hoje nesta missão muitos fazendo a mesma coisa, interferindo no carma do próximo. Se tornando escravo de suas revelações. Depois, lá na frente, virão lhe cobrar pelo que não aconteceu.
Podemos amenizar uma cobrança, mas jamais tirar, interferir, ou trazer para nós. Nossa vida é nossa, cada qual jurou o seu caminho.
Mesmo assim eu não abri a caixinha. Isso iria mudar a história. Aquele povo teria outro destino. Mas que tive vontade eu tive diante das insinuações e provocações que ele me fizera. Marcadiano foi embora resmungando. Quem sabe um dia ele compreenda.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
04.10.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas