DE REPENTE O CHAMADO – PARTE DOIS

DE REPENTE O CHAMADO – PARTE DOIS
A espiritualidade não fica bajulando ninguém, eles vem para trabalhar, eles não ficam ali perdendo tempo querendo adivinhar. Fazem a limpeza da aura do paciente, limpam a aura do aparelho, enfim, tudo para descarregar a crosta lamacenta que o sofredor deixa. Apara que não limpa sua aura leva os resquícios com ele.
O sofredor, um espírito ainda encarnado, teve todas as oportunidades que lhe foram dadas e preferiu seguir a sua estrada de espinhos. Agora vir querer culpar outros pela sua dor, aí não, ninguém tem culpa se ele preferiu um copo de cachaça a um copo de água de Seta Branca.
A espiritualidade larga mão, eles não perdem tempo com quem não quer se evoluir. O pouco tempo que eles tem para descer dos planos luminosos pagam um alto preço para formar a sua linha cristica.
O amor dentro da razão ou a razão dentro do amor.
No mundo dos espíritos quando alguém desencarna é feito convite para seguir para a luz, quando aquele espírito não aceita ele é largado a sua própria sorte. Ai se torna presa fácil das gangs trevosas. São como lobos famintos.
O sofredor se transportou mentalmente para o templo querendo culpar a todos pela sua dor, pela sua ignorância humana. Só que porém, nesta sintonia vieram uma falange de sofredores que o acompanham. Espíritos desclassificados, sem nenhuma regra, desobedientes as leis de Deus. Querendo o suicídio como forma de acabar com sua encarnação.
Se este encarnado cometer suicídio se tornará um exu terrível, pois já tem sua gang sofredora junto. Se caso seguisse o convite dos mentores para desenvolver iria limpar seu coração pagando a cada um com seus bônus luminosos.
Quando Tupinambá formou os tronos na triangulação divina todos aqueles sofredores foram amarrados restando somente este homem na sua individualidade.
A limpeza da aura na manipulação é uma obrigação do apara para desintegrar as forças magnéticas negativas. Apara que não faz isso se envolve no carma do paciente. Os tronos são conficionários e não se pode falar do que ocorreu ali, mesmo que o paciente queira saber, este é o segredo que o médium jurou na iniciação. Jura manter segredo de tudo que ouvir, tanto incorporado como desincorporado.
Vivos mas mortos espiritualmente. A doutrina é um caminho da consciência, se não tiver, não adianta tapar o sol com a peneira, vai chamuscar do mesmo jeito.
Vamos ter consciência que somos enfermeiros de uma obra caridosa e não de espetáculos, se desejam isso tem os circos que todos vão se divertir. Para os sofredores é uma festa quando encontram um médium despreparado. Não tenham pressa, a vida é somente uma. Não se tornem joguete das ilusões materiais. Somos espiritualistas e não materialistas.
Boa sorte jaguares filhos de Seta Branca.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
29.09.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas