EU PERDI TUDO

EU PERDI TUDO
Esta história que vou contar trata de um encarnado que viveu nesta cidade de campo largo, Paraná. Não sei se já desencarnou, mas é uma história triste que pode servir de alerta aos desavisados jovens.
Estávamos saindo de carro quando em certa altura um espírito chegou. Eu até nem esperava, mas ele chegou.
_ Fernando! Você pode me ajudar!
_ Salve Deus!
_ Estou tão arrependido, perdi tudo que tinha nesta vida! Minha família, meu lar, meus filhos! Eu fiquei cego pelo jogo, cartas, e o que eu via era uma ilusão! Apostei, eu e minha mulher, éramos viciados, tudo que tínhamos nas roletas da sorte, mas eram do azar! Ficamos sem teto vivendo de favores dos outros! Eu pensei em você como última esperança e você recebeu espiritualmente minha mensagem! Estou deslocado do meu mundo, estou aflito, não sei o que mais vou fazer!
_ Salve Deus! Eu lhe ofereci ajuda e você ainda queria me levar junto no mesmo barco! Lhe ofereci um lar e você queria tomar para jogar na sorte! O que você quer mais!
_ Sei que os enganos nos levam ao abismo da maldição! Eu sou um homem que não teve coragem de dizer não e por isso minha dor nunca será amenizada!
_ Sempre te disse que um dia iria sofrer muito na sua decisão! Eu não posso carregar a tua cruz! Sinto muito, mas terá que conviver com o seu carma! Você e sua mulher!
_ Estou tentando mudar minha situação, lutando para reconstruir, tentando não cair em tentação, mas o vicio é muito maior que eu!
_ O dia que você quiser ajuda será no templo, na casa de Seta Branca! Aqui não, estou apreciando meu descanso, coisa que você deveria ter feito!
_ Pode falar, seja duro com suas palavras, eu mereço! Talvez assim eu tenha um pouco de paz, não as palavras de coitadinho, mas dentro da razão para abrir meus olhos! Muitos tem piedade de mim e isso é a pior forma de me condenar! Queria que os meus amigos não sentissem piedade, mas que fossem duros, grosseiros, mal educados, talvez eu reagisse de outra forma!
_ Você não escutava ninguém, tal era teu vício!
_ Sei! E veja, tudo começou com joguinho em casa, com amigos, e aquilo foi tomando forma e cada dia e noite só pensava em ganhar! Eu destruí tudo que tinha! Perdi a minha vida!
_ Salve Deus! Agora é tarde para chorar o leite derramado! Eu não vou insistir para você mudar! Cada qual segue seu destino! Você escolheu o seu!
Aquietou. Eu estava dirigindo quando ele chegou mentalmente no carro. Parecia que ele estava me esperando na curva do rio. Eu olhei para este homem que acabado emocionalmente está tentando acabar de vez com sua imagem. Ele quer morrer em dois planos, mas isso ainda seria pouco pela misericórdia divina. Eu fiquei sem saber, não pude voltar para o templo. Vamos esperar se ele passa na mesa evangélica para pelo menos ouvir conselhos dos doutrinadores e receber perdão dos seus mentores. Somente isso podemos fazer por esta alma.
Esta história tem muito a esclarecer os jovens que estão entrando por esta porta.
Um dia um doutrinador era acostumado a jogar cartas em sua casa, na sua mesa sagrada. Pai João de Enoque chegou e deu uma lição de moral neste missionário que ele não sabia onde colocar a cara. Era para ele parar de jogar cartas e respeitar o que aprendeu no desenvolvimento. O jogo não faz parte do nosso caminho. O jogo é dos vales negros da incompreensão.
O esclarecimento é um caminho sem volta.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
22.09.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas