DOIDICE – PARTE DOIS

DOIDICE – PARTE DOIS
As respostas chegam de forma que vão ilustrando a vida dos espíritos.
Fomos atrás desta mulher. Fomos em uma missão de resgate e tão logo a encontramos do mesmo jeito, vibrando para me reencontrar.
Como foi difícil avaliar o grau do seu desencarne sem se preparar para entrar nesta dimensão onde o espírito pode ser livre ou ficar amarrado eternamente.
Um objeto foi chegando, parecia um dirigível, ele foi vindo do infinito cosmo. Ao pousar um pouco distante a nossa frente, aquela rua ou pista se iluminou tanto que parecia um sol branco, mas era claridade somente. Eu não conseguia olhar para lá, meus olhos doíam pela intensidade. Foi quando ela chegou. Fora transportada pelos seus mentores até este ponto de embarque. Eu estava tão admirado pela visão do objeto, da luz, e não vi Capella chegando. De repente olhei por trás de minha ninfa e ela estava ali, parada nos olhando. Quando os espíritos não tem energia eles também envelhecem. A energia é um fator preponderante para qualificar a sua evolução.
Quando Capella me olhou disse mentalmente que estava pronta para seguir. O seu desencarne travou os músculos faciais de tão forte que foi o choque. Eu até levei um susto, não era ela da imagem da terra. Eu sabia que era pela energia. O objeto ali parado puxava seu espírito como se fosse um ímã, não poderiam ficar muito tempo expostos.
Falei mentalmente com ela e deixei tudo certo. O que me preocupava era aquela luz no final desta rua ou pista. Era muito forte a claridade.
_ Adeus meu irmão! Foi muito bom ter conhecido você e sua família! Diga Adeus a minha filha quem tanto amei e amo! Ela foi tudo para mim, minha filha doutrinadora!
_ Salve Deus!
_ Estão me esperando, tenho que seguir, não vou atrapalhar mais ela! O meu amor é tão grande que eu não queria sair de lá, do lado dela! Ao invés de ajudar estava atrapalhando seu caminho! Adeus!
_ Vai com Deus minha irmã!
_ Salve Deus!
Assim ela foi levada pela força de atração desta nave. De repente tudo sumiu, tudo voltou ao normal. Aquela claridade se apagou e o ambiente ficou mais pesado. Onde estávamos era um plano baixo e tão logo saímos.
O resgate de uma amiga que somente um contato físico tivemos quando ela veio com sua filha aqui no templo. Ela veio do Rio de Janeiro, Ilha do governador, para somente nos conhecer e manipular a sua missão.
Os bons amigos a gente não esquece, mesmo não lembrando do nome por tudo estar envolvo a uma névoa do esquecimento. Somente na despedida que o nome foi registrado. Tudo isso, meus irmãos, acontece quando estamos presos a terra, mesmo desencarnados, ainda não nos desligamos. Algum motivo te deixou amarrado neste caminho.
Nos sentimos felizes em reencontrar com esta ninfa, filha de Seta Branca. Agora, de volta, os efeitos da sua energia vão desaparecer na medida que os mentores forem manipulando. Não existe libertação sem manipulação. Matéria com antimatéria. Físico e espiritual.
O trabalho no templo nos garante a energia que vai nos libertar. Se não tiver bônus não consegue pagar a sua passagem.
Prestem atenção na sua evolução, poucos olham para o céu, como disse Tia Neiva na abertura do ritual de primeiro de maio. Muitos jaguares estão voltando suas mentes para a terra e se endividando com suas heranças transcendentais. O céu tem muita paciência em esperar a sua hora de bater na porta.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
18.09.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas