FESTA SURPRESA

Minha esposa e minhas filhas…

FESTA SURPRESA
Recebemos um convite para uma festinha na casa de minha madrinha Maria Betezek. Ela já esta desencarnada a muitos anos, mas fomos eu e minha esposa.
Foi difícil encontrar o endereço, fomos mais pela ligação espiritual. Um fiozinho que se liga através da sintonia.
Estávamos chegando e na porta, do lado de fora estava seu irmão Pedro que nos viu e acenou para tia Maria dentro. Os dois estavam conversando, ele não podia entrar, ainda não estava dentro do circulo desta família. Ele era de outra origem, mas estava ali parabenizando. Antes de chegarmos cobri meu rosto querendo fazer surpresa, mas já éramos aguardados.
Entramos. A família era bem pequena, poucos membros. Ao entrar eu vi um casal sentados em outra peça. Eram irmãos dela, ele também se chamava Fernando. Quando os dois me viram começaram a tremer e chorar. Não sei se foi emoção ou choque do reencontro. Cumprimentei os dois e ao virar-me havia mais dois que eu não reconheci no momento. Estavam com Maria, Pedro havia ido embora, só estava nos esperando chegar.
Foi bem simples esta recepção, para mim parecia uma despedida.
Vejam, quando um espírito reencarna ele só perde sua ligação com seu mundo espiritual quando recebe o batismo. O batismo fecha sua porta e aí começa cumprir seu juramento carmico, terra.
É muito importante que toda criança receba no batismo seus padrinhos.
Graças a Deus que eu sou batizado, mas mantive minha porta aberta. O segredo da mediunidade é um fator que nos assegura a responsabilidade de tomar decisões na hora certa.
Muitos médiuns que tem esta facilidade mediúnica são pegos por não separar os fatos. Eles se envolvem com facilidade e não sabem se aquilo é bom ou ruim. Viver um mundo de ilusão e fantasia faz o humano se tornar marionete nas mãos do destino. Os espíritos influenciam fazendo seguirem outras estradas.
Ontem um espírito muito mau chegou no templo e Ypuena veio ajudar a conter seu ódio. O povo de Seta Branca tem desempenhado um papel de grande realização doutrinária. Os poucos se tornam milhares a serviço de Jesus. Sim, somos súditos do Mestre.
Uma coisa ontem me mostrou um caminho difícil. Os espíritos errantes são os que mais procuram os erros nos outros. Eles trazem esta sina sobre eles e por isso nada esta bom.
Vejam a clarividente, ela começava construir algo e logo demolia e refazia de outra forma. Até as indumentárias passaram por muitas reformas para chegar ao padrão. Na época tudo era complicado e com o avanço da evolução material foi se adequando com novos desafios.
Começamos de um jeito e terminamos de outro. Assim é a vida, nascemos e envelhecemos. Tudo se transforma.
Esta festa era uma despedida dela, agora seguiria um novo recomeço. A vida dos espíritos é assim, um mundo dentro de outro mundo. Fiquei feliz em ser recebido, ela era minha madrinha na terra e como não teve filhos meio que me adotou. Até tínhamos feito uma troca material, dei uma casa para ela morar aqui no vale para ficar mais perto de nós. Tem certas coisas que não são corriqueiras como o envolvimento de outras pessoas que não fazem parte do compêndio da família espiritual. Não sei o motivo desta despedida, eles não falam para não estragar a surpresa.
Como muitos pensam, sou a única ovelha desgarrada, sou o único de minhas irmãs a estar no amanhecer de Seta Branca. Eu sei o que é bom para mim e minha família, sei quanto recebemos de proteção e amor dos nossos mentores. Não só na terra como no céu.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
08.09.2019

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas