SÓ VAMOS QUANDO NOS CONVIDAM

SÓ VAMOS QUANDO NOS CONVIDAM
Interessante são os espíritos. Eles vem pedir ajuda aí quando chegamos eles se escondem, dão desculpas, fogem.
Esta madrugada fomos atender um chamado, eu e minha filha Aganara. Era uma libertação, mas ao chegarmos no local o homem que pediu não estava lá, havia saído, desculpas. Fomos com o intuito de ajudar, mas porque ele pediu, não fomos de graça. E ao ver tanto descaso em um momento crítico ficamos nos olhando.
Quando saímos em uma missão espiritual os mentores investem muitos bônus em nós, naquele trabalho. Se todos soubessem quanto custa para a espiritualidade fazer estas caridades ninguém brincaria com sua responsabilidade.
O preço de uma vida vale todo esforço para uma libertação. Foi para isso que fomos, a cigana com sua missão e eu no comando.
Voltamos com o trabalho incompleto, sem nada ter feito, mas nós fomos atender a quem pediu, agora se ele foi indiferente com nossa presença, Salve Deus.
Geralmente os espíritos são assim, eles querem as glórias esquecendo as cumplicidades do destino. O trabalho feito especialmente fora das amarras físicas refletem muito na continuidade sacerdotal. Ser um sacerdote é crer que você pode reescrever sua história. Tem certas coisas que é melhor esquecer que viver se martirizando. Como muitos descasos que sofremos por amar demais. O amor muitas vezes se torna injusto da forma que é empregado, porque temos várias formas de amar. Uns amam pela dor do incompreendido, outros pela obsessão do desejo, e outros ainda não se deixaram tocar pela verdade.
O amor é complicado de entender, ele reflete nossos comportamentos, se um dia você está bem você reflete aquelas emoções, se noutro dia está ruim reflete na sua aura a cor de sua roupagem.
Deixei minha filha, madrinha, na sua morada na terra e vim para o vale. Pensei muito e vejo que nem todos estão aptos à receber algum benefício espiritual.
Eu posso buscar qualquer mestre disponível para missões especiais, dando a cada um seu roteiro. Mas cada espírito tem que estar consciente de sua obra. Se eu chegar e encontrar ele adormecido vai tomar muito tempo para restabelecer sua consciência. Como disse Jesus, orai e vigiai, pois nunca saberá a hora do chamado.
O que está faltando é um pouco de conhecimento sobre a vida fora da matéria. Eu busquei minha filha que já faz seu desdobramento, transporte, e é uma cigana para libertação. Começou no dia que ela se viu fora do corpo, foi o primeiro teste de consciência extra físico.
Que Jesus e Seta Branca nos ajude.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
01.08.2019

Leave a Comment

× Contato!
Pular para a barra de ferramentas