ROBOTIZANDO A MAGIA


A simplicidade com que tudo é tratado torna muito mais fácil a conversão do invisível em visível.
Quando se robotiza a magia ela perde sua influência e deixa de existir, é como na natureza, destroem e depois precisam dela. Vejam Seta Branca, ele vem nos assistir, ele vem na sua simplicidade formar seu aleda nesta terra, neste templo.
Não há conflitos, há responsabilidade, há respeito.
Eu parto com minhas heranças e chego na minha origem, quem em sã consciência pode refazer o caminho de volta. Somente este povo jaguar que tem a lei de sua história.
Estas desuniões são frutos da vaidade, do orgulho, da incapacidade de ver além carma. Sentimos, sim, orgulho de ser filhos do amanhecer, mas isso não quer dizer que somos donos.
Eu, com tudo que escrevo das passagens no astral, não tenho competência de dizer, isso é meu.
Eu tenho um dom, mas este dom posso perder se eu caminhar contra o vento, na margem esquerda da ignorância mediúnica. Ser médium e ter plena certeza da verdade.
Quando saímos do físico, dependendo do nosso astral, vamos servir como soldados de uma legião, e chegando lá damos de frente com outra realidade. Não pensem que serão os mesmo da terra, não, porque lá é a individualidade.
Vocês nunca se verão, não há espelhos, não há reflexos, mas terão certeza ou não de se sentirem. É como eu me vejo, um missionário, simples, como me pedia tia Neiva em vida: seja simples meu filho. E depois no curso de quatro anos fazendo a cultura do jaguar, onde ela ensinou a magia dos mundos encantados.
Quem teve este merecimento de reaver seus mistérios, de explorar sua jornada.
Por isso eu digo em verdade, aquele que conhece jamais mete a mão na cumbuca dos outros.
Os mistérios que nos rodeiam são os nossos ais mesmos. Tudo se volta contra o que acreditamos, porque o homem só pensa nele mesmo. A sua gloria de poder dizer, eu sou.
Quem aqui já disse ao contrário, disse que se tornou manso e pacífico tendo em suas mãos duas espadas.
Não viemos buscar a paz, mas a guerra, a luta pela luz, por Jesus. Enquanto lutamos pela paz, existem outras forças querendo guerra.
Existe um Deus que desconhecem que está dentro do nosso coração.
Deus Tupā, invocação do cacique da paz diante da guerra. Tupã, meus irmãos, força de um poder dos raios e trovões. De sua aura saem energia como raios em direção ao firmamento. Eu refiz a minha história, deixei o meu mundo para assumir a minha condição, sou Mestre, porque confio em ti, Jesus querido, onde quer que esteja sei que está me ouvindo.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
24.03.2019

Leave a Comment