UMA GRANDE CAVERNA…

Salve Deus!

A pior caverna que existe neste mundo é a humana.

Os espíritos se esconderam nas entranhas de seus mundos físicos e a partir dali começaram a ditar suas interferências no comando das vidas, quer socialmente, quer espiritualmente.

Estamos em uma grande batalha, abrir esta caverna. Estamos quase chegando no limite aceitável das contradições retirando do corpo estes encouraçados e dando a eles a oportunidade de falar, de desafiar, de testemunhar. E não tão somente aos desencarnados, mas aos encarnados que são tragados pela espiritualidade na razão do coração.

Esta noite foi impossível ter um momento de paz, a guerra começou, o mundo espiritual está em alerta, as legiões estão de prontidão, o sol raiou no firmamento, eles estão como formigas que foram cutucadas no formigueiro. É como se enfiasse um galho seco que ao morderem soltam seus odores com tanto ódio que sentimos as presas sacudirem pela violência desenfreada.

Não estamos sozinhos, estamos somente coletando dados, fazendo o trabalho missionário de alertar estas almas perdidas que está chegando o dia da libertação. Como instrumentos da alta hierarquia temos o compromisso de chegar ao fundo deste túnel e ascender a lamparina do amor, do perdão e da consciência.

Quando Jesus disse que não se ascende uma lamparina embaixo da cama e sim no mais alto mastro é porque a luz tem que ser vista por todos. Os espíritos encouraçados não querem a luz, eles querem guerra, morte e vingança. Vejam que a maior caverna é o próprio físico que esconde uma dor milenar. Quando quebramos a barreira que prende esta alma ela saí a vagar, saí pelas fendas do destino e aí começa a grande transição, a libertação.

Os seres humanos em sua maioria só pensam no seu estágio, como dominar, como ocupar, como tirar proveito de uma situação. Eles não pensam em serem bondosos, sempre estão dando com uma mão e tirando com outra. Não há equilíbrio na eterna balança da evolução, porque só pensam terra e não céu. Depois, lá no mundo sem fronteiras, choram suas lágrimas de sangue.

Estamos aqui nesta cidade onde reina uma condição milenar, Romanos, espíritos que traíram Jesus na sua caminhada pelo planeta. Todos se dizem cristãos, mas na essência divina são profetas da desigualdade social. Não existe amor, não existe perdão, existe somente morte pelo avanço pela necessidade. Não pensam que mais tarde nada levarão desta vida e somente as suas dores que prestarão contas em mundos mais sofridos.

Temos retirado de Anodai espíritos que estavam nesta mesma condição, nesta caverna humana, ou desumana, e vemos o quanto estão pagando. Quando lhes é dado a oportunidade de vir para o templo por ordem de Seta Branca e Mãe Iara, aí vemos que choram sem parar querendo perdão, outros ainda jurando vingança. Mãe Iara tem feito sua grande missão de trazer dos calabouços estes sofredores que ainda não se acordaram para Deus, para Jesus. A grande missionária que não mede esforços para abrandar os corações.

Então a grande caverna foi atingida de cheio e as almas se despertaram para suas realidades. A noite elas saem bailando pelo cheiro de suas vitimas tentando induzir ao erro pela suas aparências. Quem vê cara não vê coração. Apagar nosso cheiro é fácil, difícil é convencer estas almas do caminho certo a seguir. Elas não querem Jesus, elas querem ficar neste mesmo estágio da desordem espiritual.

Bom, que Deus e Jesus nos ajudem, que Seta Branca e Mãe Iara nos tragam o sol e a lua para nossos compromissos nesta terra e principalmente nesta cidade.

 

Salve Deus!

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

08.09.2018

 

Deixe uma resposta