MERECIMENTO SEM MERECER…

Salve Deus!

 

_ Salve Deus meu irmão! Eu venho vos reverenciar mais uma vez por tudo que me disse e o pouco que pode me dizer! Até hoje estamos unidos, somos almas gêmeas, como você me disse que ela viria de outro país muito distante daqui de onde eu estava hospedado! Até hoje eu ainda recordo de suas palavras e quero externar meus sentimentos de respeito!

 

Assim foi esta presença de um velho doutrinador. Ele veio morar aqui no vale de Campo Largo, sozinho, como dizemos: largado a sua solidão. Quando ele veio do Templo Mãe e aqui nos ajudava a doutrinar os espíritos, uma imagem abriu sua janela temporal e nesta imagem uma moça que ainda estava no Japão. Ele até naquele momento não acreditava em mim, mas demorou uns dias e a moça apareceu aqui no vale. Ela chegou chegando, assim, decidida e já na segunda vez que veio ao templo, pois morava a uns 400 km daqui, já disse que iria ficar ali, com ele.

 

Olhei para o velho doutrinador e vi em seus olhos a sua admiração. Sozinho ele não iria mais ficar, pois sua alma gêmea veio se juntar. Não demorou muito e tão logo os dois já estavam morando juntos. Havia respeito, havia integridade e muito amor. Sabe, quando você encontra sua verdadeira alma gêmea e tudo acontece assim num piscar de olhos. Pois é, assim foi com meu irmão, agora ele foi morar longe daqui, norte do Paraná com ela. Vivem ainda os dois juntos na maior sintonia.

 

Ao ele chegar aqui nesta madrugada, ele veio agradecer ao que fiz por ele, mas veja, eu não fiz nada, somente o destino juntou os dois em suas evoluções. Eu somente anunciei o que estava previsto para acontecer. A repentina mudança de sentimentos, da solidão para a alegria, isso sim, vale muito a interferência do destino.

 

Eu gostava de anunciar as boas vindas, mas de repente eu comecei a perceber que muitos não tinham merecimento para merecer o que estava programado. Muitas vezes eu falava uma coisa e acontecia outra, porque não estava no destino ainda haver um reencontro. Por isso acabei me calando, fiquei assim mais prestativo, ensinando o caminho da verdade.

 

Na missão espiritual a gente muitas vezes contribuiu para o nosso desencontro, porque tudo muda em questão de instantes, como dizia nossa mãe clarividente, ela falava e acontecia de outra forma. Quantas vezes ela se decepcionou com suas visões, mas não pelo que via, mas pelos seus amores que se avizinhavam descrendo dela quando não acontecia a sua visão.

 

Muitas pessoas me perguntam sobre seus destinos, mas vendo lá na frente eles não têm o merecimento para saber. Principalmente aqueles que ainda não tem seus plexos formados, porque uma palavra não interpretada pode distorcer uma verdade.

 

Foi então que fiquei mais consciente em uma vida cheia de ilusões, de desejos e perseguições. Aprendi uma lição, não foi pelas palavras sábias do exercício da fé, mas vendo os quadros que narram cada vida neste planeta. Todos vem para descobrir e se descobrir, mas preferem que outros discutam suas vidas, sem eles prestarem contas das suas jornadas. Isso é um perigo que não consta nos diálogos dos seres evoluídos, pois há um perigo que ronda cada pensamento, a morte sentimental. Sim, muitas vezes o que você diz ou fala não é concordância de uma evolução, e como castigo aquilo se distorce a tal ponto que a culpa recai sobre seus ombros.

 

Falar ou não falar. As insinuações de saber o que não pode, mas existe um senão nesta articulação, quando o perigo a vida ocorre de forma violenta atentando contra as famílias. O aviso pode ser concretizado a mexer naquele estado emocional, fazendo com que a pessoa exercite sua consciência.

 

Foi, então, que o meu irmão e amigo doutrinador chegou aqui. Ainda agradecendo os momentos de felicidade que ele vive até hoje. Eu fiquei agradecido, fico comovido, fico sempre atendo as comunicações que do espaço chegam.

 

Muitos espíritos chegam aqui no solo sagrado, todos em busca de suas ligações temporais, todos querendo saber a sua cultura. Quando eu estava conversando com este doutrinador chegou aqui uma mãe com sua filha e mais outra mulher. Eles vieram para receber de Seta Branca a cura. Ela com câncer de seio deitada no leito do hospital recebendo sua quimioterapia. Veja mestres, não precisamos de muita coisa para ser felizes. Foi então que mostrei a porta do templo que estava aberta, estávamos atendendo aos espíritos.

 

A nossa missão é mediúnica espiritual, atender aos espíritos favorecendo as suas evoluções.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

12.06.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, ,

Deixe uma resposta