RESPEITO…

Salve Deus!

 

Ninguém pode estar ou sentir-se acima do respeito.

 

A pressão espiritual se formou e estava grande a atuação de determinados seres que se acham melhores. Eu já nem conseguia mais ter tranquilidade, pois tamanha era a vibração que vinha de uma reunião fora do nosso amanhecer. Quando eu falei em corredor espiritual, é quando tudo se destina a um único lugar. Por exemplo, o Reino Central, ele absorve ou absorvia toda a concentração de pensamentos humanos.

 

Agora, eu estou no meio deste corredor e as forças indiferentes estão observando. Forças que todos desconhecem, pela sua atuação direta e não mais indireta. Foi como de ontem à noite, a minha cabeça parecia um tambor que cada um vinha e batia. Já não aguentando mais eu me desloquei e fui atrás do responsável, o espirito que fez o acordo comigo.

_ Salve Deus! Você quebrou o acordo!

_ Não!

_ Então porque estou sendo vibrado pelos seus!

Ele virou suas costas e saiu. Tão logo, não deu cinco minutos, parece que uma tomada foi desligada. Tudo aquilo saiu de minha cabeça, foi como se tirasse com as mãos.

 

Tudo suavizou. O espirito responsável pelo outro lado desta história não voltou, porque ele sendo um rei na sua hierarquia não baixa sua cabeça e eu como sendo um simples mortal não vou desafiar seu poder. Eu só cobrei o que ele tinha acordado comigo, porque eu respeito a sua dinastia e ele também passou a respeitar a nossa aqui do vale.

 

Quando sai um sufoco, nós nos sentimos libertos e outras coisas vão surgindo. Minha mãe, hoje desencarnada, ela veio com sua simplicidade me visitar.

_ Nando! Você tem cobertas para este frio!

_ Salve Deus! Temos sim! Estamos bem protegidos!

Ela sorria pela sua felicidade de estar aqui comigo. Seus olhos brilhavam como mãe e não como foi a nossa história. Os velhos testamentos de outrora são marcados pelo selo das reencarnações.

 

Ao sair pelo espaço cheguei a um deserto. Um lugar triste pela sua aparência desolada, mas havia vida sedimentada. Ali, um pouco de água e um punhado de areia misturada se construiu um rico reinado. Foi com muito sacrifício que este império foi construído, digo, dos que se empenharam em deixar para a história um legado de conhecimento.

 

A destituição de um homem do seu cargo se torna um colapso familiar. Vejam como conta as narrativas perdidas nos cantos do encanto. Cada qual constrói a sua morada, a sua cama e desfruta do que construiu e não se apoderando dos pergaminhos já prontos.

 

Vou materializar esta parre para compreenderem que o respeito pela vida e pelo próximo é uma realidade e não uma ficção.

Eu tinha um bom trabalho, concursado, e mantinha tudo sob meu controle. Mas em determinado tempo veio uma pessoa para meu setor de trabalho e ele queria dominar tudo com sua esperteza. Aprontou tanto, jogava outras pessoas contra mim, enfim, foi um martírio. Eu ficava na minha, no meu cantinho e via a sagacidade do homem com um cargo um pouco maior. Ele fez de tudo para me afastar e me jogar para as traças, mas enfim, eu já não aguentando mais a pressão joguei a toalha.

_ Eu não vou sair, mas se quiser!

Foi o sinal verde e tão logo no mesmo dia veio à cartinha vermelha pintada com sabor de sangue. Olhei para ele e seu espirito estava babando, mesmo ele escondendo seu rosto de mim. Só que havia mais pessoas que foram atingidas, aí foi seu dilema, porque um deles era seu melhor amigo.

 

Ele não aguentando mais a sua consciência foi ou pediu para sair. Foi para o Rio de Janeiro e lá começou a pagar pelo seu erro. Uma explosão de fogos de final de ano quase o matou, mas ainda não era seu destino. Em uma estrada ele sofreu um acidente vindo a falecer.

 

Esta história meus irmãos é para mostrar o quanto é perigoso meter o dedo na ferida do nosso próximo. Para quem enfia o dedo não dói, mas para os feridos é como tirar seu pão de cada dia, porque eles têm família, tem filhos, tem responsabilidades.

 

Quanta coisa se pode evitar com a compreensão. O amor, a razão e a justiça de poder enxergar e não ficar espremendo um caroço seco. Mas até o caroço tem sua utilidade, basta planta-lo em terra fértil e veremos os frutos da grande árvore nascerem.

 

Nós todos estamos ainda com nossas mãos manchadas de sangue. Não tem como lavar, é algo que só vai sair quando tivermos consciência de nossas missões. Enquanto isso não acontece vamos molhando elas com a água de Seta Branca e de Iara, vamos suavizar um pouco este karma.

 

Quando eu ensinei uma técnica de transportar de um mundo a outro é para que todos se curvem diante de sua evolução. Não é para bater de frente, é para enriquecer seu histórico de aprendiz. Lembram-se do copo com água e o seu registro embaixo dele. Não é na primeira noite que vão conseguir e isso mostra o quanto uma pessoa tem fé em si mesma. Muitos já desistiram e outro nem fizeram. Exemplo maior foi de Tia Neiva onde ela passou a repetir seu juramento todos os dias para não perder a sua chave.

 

Água e areia. A infusão do átomo nas moléculas fazendo se levantar da terra um poder sem igual. Tumuchys, ciência pura, tradicionalmente conservada no âmbar de muitos corações. Então Deus disse, faça-se terra e tudo se formou.

 

Quando esta água do copo sofre a magnetização ela cria borbulhas em seu estado liquido, é como se tivesse aplicado um oxigênio dentro do copo. Estas borbulhas são energias dos caboclos e das caboclas, povo de Oxóssi. Eles vêm e manipulam o poder desta agua e ela se torna uma força curadora. Conforme os nagôs pedem a sua utilização ela proporciona uma paz ao eu interior. Se for para retirar a carga negativa ela não pode ser bebida, agora se for para a cura, ela deve ser ingerida conforme eles pedem.

 

Quando for negativa há que se jogar na agua corrente. Como em muitos lares da cidade não tem um rio perto, abre-se a torneira e deixa um pouco a agua correr e joga no meio. Quando é para a cura, ao amanhecer toma-se ela em meio a sua prece de agradecimento.

 

Fui ver um homem que perdeu seu cargo. Politicamente ele foi substituído porque estava em desacordo com o partido que o colocou neste caminho. Emocionalmente sua família estava em desespero, mas ele não, ele se mantinha na sua postura de chefe. Não sei quanto tempo ainda ele manterá esta mascara de firmeza. Somente o tempo dirá o que eu vi nesta viagem.

 

Jaguares. O melhor lugar para se sentir em paz é aquele banquinho de preto velho onde o confessionário está aberto para saber a sua resposta. Nada além do que prestar atenção nos segredos da sua vida.

 

Eu tenho consciência de até onde eu posso ir. Se eu achar que não devo ir eu volto. Não é vergonha voltar um passo atrás, vergonha é sustentar uma coisa que está prejudicando muitos ao seu redor.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

22.05.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , ,

Deixe uma resposta