CRAVO DE FERRO…

Salve Deus!

 

Sábado, dia de amor e muito trabalho.

 

Cadê os missionários. O templo estava cheio de espíritos para serem atendidos. Havia até um missionário desencarnado parado na porta esperando a sua hora, e quando eu fui abrir a casa de Seta Branca ele me enfiou um cravo na minha nuca. Sabe, a fisgada foi tão intensa que doeu os miolos. Até agora ainda tenho dor no local.

 

Mas ele ficou por ali a espera para ser atendido. Pai João de Enoque e Pai Seta Branca vendo que poucos estavam trabalhando vieram nos ajudar de forma que Mãe Iara deu a oportunidade do desencarnado receber em outro aparelho a sua luz. Ele passou, ele estava desamparado e solitário, porque todos se esqueceram dele.

 

Os mestres estão esquecendo que temos um juramento com Jesus bem antes de reencarnar, juramos a caridade, mas o tempo vai desgastando o juramento e todos passam a ignorar suas responsabilidades. Pai Joaquim das Almas pediu que todos se conscientizassem da grande verdade, mas como se diz, somente a dor faz com que as pessoas relembrem de suas vidas.

 

O espirito tinha uma prestação de contas com sua evolução.

_ Eu estou largado, estou sozinho, todos me abandonaram! Eu preciso de ajuda!

 

Assim no dialogo com o doutrinador ele se manifestava através do apara que o recebia diretamente com sua memoria apagada. O mestre apara não pode reconhecer para que fosse mantida a integridade do nosso irmão. Nem eu pude falar seu nome para não atrapalhar o desígnio dele com Mae Iara.

 

Eu só fiquei contrariado o porquê que ele me enfiou aquele cravo em minha nuca. Doeu e muito, me deixou aflito, pois eu não esperava esta traição. Quando se ama, nós aceitamos as provocações do destino, mas quando se pega assim, tentando ajudar, dói mais ainda.

 

O templo, hoje, estava cheio de entidades. Poucos doutrinadores trabalhando, mas muitos mentores se revezando para atender todos. Graças a Deus que todos saíram muito bem, receberam os bônus pelo trabalho do dia e curados pela energia da espiritualidade maior.

 

Ficamos até atender todos os pacientes físicos e espirituais. Foi bom, não temos o que reclamar. O tempo já mudou em nossa região, o sol some mais cedo e o frio chega com mais intensidade. Teremos mais frio este ano pela quantidade de chuva que derramou do céu para a terra.

 

O que falta para todos. O que desejam os jaguares para não perderem seus instrumentos de navegação. As nossas missões são para nossos benefícios, nós é que precisamos atentar para as falhas do nosso caminho. O carma está agindo em conformidade ao seu desejo. Nós que precisamos da luz e não a luz de nós.

 

Tudo que eu escrevo tem um objetivo, alertar para que não caiam no mesmo padrão das vidas passadas. Não digo que eu seja um merecedor, mas digamos que pode mudar muitos pensamentos. Uma palavra amiga muda o roteiro de um destino karmico.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

12.05.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, ,

Deixe uma resposta