CABALA…

Salve Deus!

 

Todos nós temos conselheiros que ficam no despertar da consciência.

 

Quando entramos na cabala nós estamos cientes do que somos, do que buscamos e do que vamos trazer. Não é brincadeira manipular as forças de uma cabala, porque sendo razão tudo se difere na concentração.

 

Foi seguindo a risca as ordens dos conselheiros que eu abri a minha cabala, não exatamente assim, mas orientado pelas forças divinas eu abri a força direta, sem medo, sem pestanejar, pois era preciso naquele momento haver a separação do joio.

 

Todos podem formar suas cabalas e realizar grandes fenômenos dentro da cultura que foram preparados, mas somente o detentor da chave pode abrir os segredos da magia. Como foi difícil no começo estabilizar minha nave, porque as forças desciam no continente e ninguém entendia a razão e tanta transformação. As lutas travadas entre a moralidade e a honestidade foram o foco principal dos ajustes necessários ao homem luz, ao ser do terceiro milênio.

 

Para termos merecimento temos que ser honestos conosco mesmo. Trair o conselho espiritual é o mesmo que morrer na sua eternidade.

 

Os espíritos buscam o confronto ideológico como forma de quebrar a cabala, destruir os enredos da vida e da morte. Na sequencia vemos o desenrolar dos ataques indiretos por meio das vibrações serem impregnadas no filtro mental. É de enlouquecer até o mais sábio homem que se prende pela sua natureza. O grande pêndulo que regula suas atividades mediúnicas.

 

Eu recebi a grande hora do jaguar, porque as leis cristicas foram afetadas, foram manipuladas ao bel prazer, com consequências desastrosas foram alteradas. A chave então quebrou os dentes da responsabilidade e a porta se fechou.

 

Quando eu falo em cabalístico, sim, é um poder paralelo, independente, é algo superior a nossa concentração física e material. Os espíritos superiores formam este mundo diferente da regência karmica, são eles a proporcionar a direção das vibrações. Os espíritos que não seguem as leis cristicas são atingidos na sua alma, eles não conseguem se estabilizar, porque é como um cerco que vai comprimindo até que nada reste. Eu diria que ali se forma um portal entre duas ou mais dimensões.

 

Os espíritos estão chegando com mais coragem ao nosso plano. Agora, daqui para frente, a materialização vai se tornar possível, graças à quebra da muralha que eles tanto combateram. Vai ser uma luta complicada. Imagine você lutando com um espirito, ele todo enrolado em sua aura, e sem entender o significado disso não se protege das vibrações.

 

A cabala faz esta diferença, ela pode ser transferida de um ponto para outro, ela está na cultura do entendimento. Ao formar a minha cabala, direto que a Clarividente nos entregou, para que pudéssemos aprender e compreender os sinais do tempo no templo, eu trago as origens mais remotas, sim, varrendo as dimensões em busca da cura, eu reformulo a ideia da tradicional mesa de Kardec, prevalecendo o conforto, mas dentro da luta evolutiva.

 

Somos etéricos nesta dimensão materialista. Somos o quinto ciclo já decrescendo na sua contagem. Estamos além da morte material, estamos além do físico, vivemos a noite e o dia, mas, porém, temos responsabilidade com a nossa morada. Nosso corpo físico ainda sofre as intempéries dos mal amados, destinos eletricamente compostos de cargas negativas que se chocam positivamente dando estalos no desagregar das forças.

 

Você, com permissão do comando central, Seta Branca, pode receber a chave de sua cabala. Você hoje está na condição da conquista, está se mantendo na cultura do que compreendeu, mas está fora de sua contagem. Ainda não dominou a faculdade de sua aspiração. Magos do evangelho, príncipes das cordilheiras, falanges mil que se cruza em pensamentos cantando sorriem.

 

O enfrentamento das nossas dores se da pela conquista do aleda. Quem conquistou sua sublime mensagem está trabalhando pela integridade do sol interior. Sol interior pode ser também a sua cabala, porque ao vibrar ele transforma pela densidade que emite. Quando puder dominar esta faculdade verá que existe um desagregar de sabedoria resultante do seu amor. Irradie e verá, sentirá que as forças se propagam de dentro para fora.

 

Este será o homem luz deste universo. O homem que conhece a sua profundeza hieroglífica. O homem que a um simples toque de mãos fará as curas que Jesus fez, pois ele é um discípulo do Mestre. Alertai, alertai, é chegada a hora de mostrar quem nós somos, para que viemos e fomos preparados.

 

A desmaterialização dos pensamentos. Verão uma grande nuvem escura cair do céu em forma de cristais negros. Uma forma de luto e temor, sim, pois o homem jamais edificará sobre seus escombros, disse Seta Branca. Esta concentração irá avaliar o grau de preparação do homem no seu quinto ciclo.

 

Vamos assim dizer, todo pensamento humano será tomado pelo espaço. Verão grandes sonhos, ideais, serem projetados mentalmente e se materializando aos olhos físicos. Tudo que desejam: riqueza, poder, bens materiais, aquele sonho ideal, ele será pesado na eterna balança, e cairá sobre vossas próprias cabeças. Quando mais ilusão mais peso nesta fabrica de sonhos.

 

Os pensamentos estão se tornando um tormento para a humanidade. A grande explosão irá acontecer para diminuir a frequência cardíaca. Quando isso acontecer nós veremos novamente a grande *Atalaia. Ajustes e reajustes necessários ao bem comum.

 

Falamos um pouco desta concentração atômica que é a força cabalística. Espero que todos tenham compreendido a sua missão. Para ter este merecimento foi preciso enfrentar o ferro em brasa e a agua fria fazendo a terra aceitar.

 

Naquele instante que precisei a cabala foi invocada e foi desfeito aquele balaio de gato. Vidas embaralhadas e esquecidas.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

12.05.2018

 

*Cabala é uma palavra hebraica que significa “lugar elevado” e designa, também, aspectos secretos de uma doutrina – Ka , em egípcio, é espírito e Ba a alma. Vinda de três regiões distintas (Índia, Caldéia e Egito) a cabala Hebraica serviu como base ao monoteísmo do judaísmo, do cristianismo e do muçulmanismo. A cabala Hebraica se divide em sete partes, tendo como época mais influente a Idade Média, em que judeus de diversas nacionalidades a estudaram, buscando a origem do Universo e do Homem e o conhecimento da Divindade. No século XIX, estudiosos não-judeus adotam a cabala Esotérica, colocando-a em comparação com outras correntes filosóficas e religiosas, buscando mostrar que, no fundo, tudo é igual e conduz à mesma finalidade, cada um dentro de sua revelação particular. Designamos como cabala um local de concentração de forças de determinada natureza, que irradia e se expande para a realização de um trabalho. No Vale do Amanhecer existem várias cabalas – Estrela Candente, Cassandras, Turigano, etc.  A Autorização, por exemplo, é uma Cabala de Pai João de Enoque e de Pai Zé Pedro. Tanto Jesus como Pai Seta Branca possuem suas cabalas, pontos etéricos onde são manipuladas energias de diversas origens. Os Oráculos são também cabalas, que emitem suas forças na projeção de seus raios ou raízes (*).

 

 

  • “Conhecendo bem as leis e as forças da Cabala, às vezes nos admiramos tanto, porque certos homens, que tiveram a graça de ser inteligentes, preferiram, no entanto, viver com suas armas presas nos estreitos limites do corpo humano, resistindo até mesmo aos esforços dos Poderes Superiores. O medo do ridículo, provocado pelo orgulho!… Não sabe o Homem que seria mais inteligente se aprofundar para criar!… (Humahã, out/62)

 

  • “Cabala é o leito das forças decrescentes místicas. O mestre, quando tem consciência de suas forças, tem condições de fazer grandes trabalhos. Num trabalho de Cabala, na hora em que o mestre faz a oferta de suas heranças, as forças vão chegando e o envolvendo, indo de uma extremidade a outra da Cabala, como se fosse um véu, envolvendo as forças decrescentes. Quando nos referimos às forças da Cabala estamos nos referindo às forças, aos poderes superiores. As forças da Cabala são transmitidas por vibrações. Um trabalho na Cabala é a Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo. Devemos encarar um trabalho de Cabala com muita segurança, pois ali é a divisão do Bem e do Mal, a Lei Crística. O mestre tem que ser firme como a rocha: ali é a decisão, ali não pode haver piedade, ali é a razão, é distinguir o verdadeiro do falso e isso só é possível aos homens conscientes de suas forças. Nào há meio termo – é a decisão. Não pode vacilar! Aliás, não podemos vacilar em nenhum trabalho, senão nos prejudicamos e prejudicamos quem depende de nós. Não poderíamos ter os Sandays sem a Cabala, porque após a Cabala é que nos foram sendo transferidas as heranças. A Elipse continua transferindo as nossas heranças.” (Trino Araken, 25.4.80)

 

  • “Por que as forças de Deus não impediram a guerra e a força da Cabala impede? Sim, filho, porque o Homem preso não pode alcançar um plano superior de desenvolvimento espiritual. Tudo o que possuímos, pelo que somos pessoalmente responsáveis, é a nossa alma. E esta lei, filho, é baseada no fato de que toda a matéria, todas as forças, os oceanos, a Terra, o Sol e a Lua foram criados por Deus. O Homem não pode criar ou destruir a matéria. Nem pode criar ou destruir em vão! Sua força, sua energia, Deus criou, filho, para a felicidade individual do Homem e para o Homem, com o dever de transmutação se o Homem não fosse contrário à Cabala. Sim, o poder cabalístico é que nos dá a faculdade de extrair a nossa energia. A Estrela Candente é cabalística, e nela nos libertamos. Libertamo-nos porque emitimos a nossa energia, e este ritual cabalístico nos conduz o poder das Amacês e das Cassandras. (…) Vamos pensar o que é um trabalho cabalístico. Cabalístico é trabalho de Cabala, trabalho de ritual, de gestos e cantos. A Elevação do Doutrinador é um ponto cabalístico. Quero deixar bem claro que me refiro à Cabala de Nosso Senhor Jesus Cristo. Não temos outra porque, filho, todo o encanto de nossa Magia existe somente enquanto pensamos no Bem, concentrado nas três palavras: humildade, tolerância e amor. Se sairmos dessas palavras, nada temos. A Estrela, com sua poderosa luz, paga o preço de sua Amacê, na responsabilidade de um ritual cabalístico que implica a força extraída de uma jornada no horário e da emissão de seus Comandantes. A jornada é o desenvolvimento do plexo na formação de uma sequência com o Comandante na cabine; faz-se a preparação, o envolvimento com as Sereias e com o Povo de Cachoeira, mais uma jornada que é a revisão final; e, por último, os Esquifes, os Tronos, que são o resultado da cultura geral. O poder cabalístico não é tão fácil como pensamos: dispõe de uma raiz. Nós temos ao nosso alcance, pelo menos, três raízes. E já estamos na quinta! Então, filho, se as temos, é pela nossa responsabilidade na Lei do Auxílio. (…) O mundo inteiro – ou todos os Homens do mundo – não conseguem o que SETE Homens na força cabalística podem fazer! E, no Vale do Amanhecer, tudo é cabalístico. Por conseguinte, tudo é possível aqui. As energias chegadas da Quinta Raiz do Continente Ariano fluem da Idade do Ouro. Filho, deves lembrar sempre que, se puderes, deves aprender a compreender e a usar a tua força, se conscientizar de tuas influências desde os planos sutis. Sim, filho, conseguir uma consciência mais profunda, sentir o despertar de sempre novas ativações de correntes nervosas habitualmente inativas;  internamente tomar consciência do corpo para poder desligar-se dele, permitindo esquecê-lo e, assim, sentir-se em perfeita liberdade de ação, as funções que te são próprias. ”  (Tia Neiva, 19.9.80).

 

* Atalaia: “17 ÀS 18 HORAS – As amacês fazem, por  toda a Terra, um bale de forças, emitindo a inteligência, a religião e muita energia. É a hora da Vida e da Morte! Quando estamos nos planos espirituais, onde o Homem desencarnado se queixa pela falta de comunicação, de um esclarecimento de sua vida religiosa ou doutrinária, é neste horário que ele é levado a Terra, onde lhe é mostrada a grande Atalaia, onde tudo lhe é esclarecido, onde ele sabe que, por sua própria culpa, abandonou sua grande oportunidade. A obra de Deus é perfeita e não tem mistérios nem usa subterfúgios.” (Tia Neiva – Horários, 1984).

 

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , , , ,

Deixe uma resposta