ESPÍRITOS COM WI-FI…

Salve Deus!

Até agora eu quero entender esta história. Espíritos com Wi-fi.

Jaguares, por demais a falta de preparo de certos comandantes, que estão ali por mero capricho de escala, pois não tem nenhum preparo para estar diante de entidades e pacientes. O fato aconteceu comigo nos tronos amarelos, e olha, diante do Cacique Tupinambá, onde o cara, nem falo doutrinador, veio com tanta falta de educação com a entidade.

_ Coloque suas mãos aqui em cima da minha! Gritava o cara. O pai com humildade colocou. Desincorpore deste aparelho! Eu fiquei olhando aquela atitude e repreendi o cara, mas ele se tornou mais grosseiro ainda. Ele não me pediu nada, chegou como se mandasse no trono, porque ali tinha um doutrinador responsável que era pra ter sido comunicado. Eu acho que aquele cara não era da doutrina, deveria ser um invasor pois não tinha respeito algum.

Quando sai do trono ele estava sentado no primeiro trono, virei para ele e tentei lhe explicar, ensinar, mas ele gritava na frente de todos, mestres e pacientes, eu sou antigão, eu mando. Eu olhei para ele e percebi que não iria adiantar nada discutir, fui ao primeiro Orixá e comuniquei o ocorrido. Percebi em todos os tronos ele fazia a mesma coisa, agia da mesma maneira.

Nunca, eu em mais de 40 anos de missão, vi algo parecido. Ainda sendo do sul, de Porto Alegre, qual deveria dar o maior exemplo de respeito. Não sei se é do templo de lá, mas estava com sua plaquinha de arcano pendurada no colete. Não vi o nome, porque ele não deixava. Mas ele disse que era de Porto Alegre.

Jaguares, isso jamais deve acontecer, até porque era um pedido de nossa mãe clarividente que jamais tratássemos mal os pacientes e ainda mais os mentores de luz, ou sofredores. Era um pedido muito especial e carinhoso que ela tinha para com todos nós.

O abuso de ignorância, chegar para uma ninfa que estava com seu celular na mão, desligado, passando como paciente, pois havia acabado de chegar de viagem, dizendo de forma grosseira que as ondas magnéticas do celular atrapalha a incorporação dos espíritos. Eu não sabia que eles tinham wi-fi. Desliga-se o telefone por uma questão de não atrapalhar os trabalhos. Imagine todos ali dentro atendendo telefone, vira um negócio diferente. Eu fiquei querendo saber se é isso que se ensina aos adjuntos, se no templo de sua origem dão este tipo de instrução. Caso for isso eu não sou desta doutrina, porque não foi isso que ela nos ensinou.

Temos que tomar cuidado com as incorporações nos tronos, tem médium anímico, sem entidade e dando mensagem. Uma ninfa estava projetada por um sofredor e o preto velho do ajanã não deu passagem e ia dispensar do trono. Ela falou para o aparelho que estava passando mal, mas o médium não tinha nada. Foi então que ela deu passagem ao sofredor dando um susto nos doutrinadores comandantes. Após a doutrinação do sofredor o caboclo veio com tanta força que o doutrinador deu uns três passos para trás. Isso mostra o despreparo.

A verdade, mestres, está faltando comando, está tudo por um tris, pois existe ordens somente vendo o lado material e não o espiritual. A exigência é física, dão ordens para isso e para aquilo, mas não ensinam o respeito e o amor incondicional. A falta de respeito pelas entidades de luz, a falta de orientação aos pacientes, eles só se veem ali na frente para que todos os vejam dando ordens.

Não existe hierarquia. Hierarquia quer dizer respeito uns para com os outros. Respeitar para ser respeitado. Quando o Caboclo Tupinambá com toda sua humildade baixou suas mãos para aquele tirano, ele demonstrou o respeito por ele e pela sua hierarquia. Vejam que o exemplo vem de cima.

Somente eu fiquei indignado pela falta de respeito por mim que estava no trono, pois ali eu deveria ter sido comunicado sobre qualquer mudança no ritual do templo. Mas, principalmente pelo Pai que veio na roupagem de cacique tupinambá, para atender seus filhos.

Jaguares, eu como um simples doutrinador, peço a todos, não desrespeitem ninguém, ninguém mesmo, porque até um espírito sofredor merece todo nosso amor e respeito. As entidades sabedoras de cada coração respeitam, então, quem somos nós para sair desta cultura. O que mais me deixou pasmo foi que no sul as pessoas são educadas, não que em outros lugares não sejam, mas como eu sou do sul, eu nunca imaginaria que um conterrâneo meu tivesse esta cultura. Para mim não é meu irmão, e sim um carrasco acostumado a tratar seus irmãos da mesma maneira.

Jaguares, o Pai Seta Branca é amor e não ódio.

Salve Deus!

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

30.04.2018

 

 

 

, , ,

Deixe uma resposta