MISSÃO É MISSÃO…

Salve Deus!

 

Como disse Seta Branca: “Nós vamos longe buscar os menos afortunados”.

 

Quando rompemos a grande muralha que nos separa da nossa incompreensão, nós saímos como pequenos vagalumes de cargas desiguais que em direções opostas vão, mas cada um levando consigo a sua palavra, o Evangelho Vivo e Resplandecente.

 

Eu vou contar para vocês esta passagem, mas para que sirva como orientação aos seus corações e as suas mentes. Isso para ilustrar um pouco a transição do espirito.

 

Retornei a uma origem não muito distante, pois fui chamado para receber uma família neste lugar. Uma cidade distante alguns km de onde eu moro hoje, no vale do amanhecer de Campo Largo, Paraná. Fomos eu e minha ninfa, esposa, e lá quando entramos na casa da família Betezek, vendida muitos anos, nós ficamos esperando quem iria ser atendido. Não demorou muito, logo uma limusine preta parou em frente da casa. Zélia estava comigo em uma dependência da casa, sala, mas quando eles chegaram eu fui sozinho.

 

Saí pela porta da frente e eles já estavam esperando ao lado do carro. Eram uma família, o casal pais, o casal filho e mulher, as crianças. Apresentei-me e tão logo já fui explicando sobre a nossa doutrina. Não temos muito tempo a perder, pois as horas na terra passam rápido quando estamos longe do físico.

 

Contei quem era Seta Branca, o motivo dele ter aberto esta linha do céu para a terra, enfim, as explicações básicas. Olhando para o pai, eu vi um romano, um homem forte e combatente. A mulher era samaritana, eles haviam se unido contra a própria história. O homem era grisalho e tinha uma expressão de compreensão. Eu não posso descrever quem seja até porque há muitos anos eu saí desta cidade.

 

Olhando pelos registros da história, havia uma família que morreu em um acidente de carro, eles ainda estariam presos em suas dimensões em busca de evolução. Neste acidente morreram todos, foi uma tragédia, pois eles tinham um grande comércio, eram pessoas bem quistas, tinham respeito.

 

Ao mudar a estrutura das antigas convenções religiosas, sim, a religião prende o espirito pela morte que não acredita na vida eterna. Eles podem passar a viver em outra dimensão como se fosse a terra. Criam ilusões comportamentais, mas isso só fica na mente deles. Eles foram iludidos a não acreditar que morreram.

 

Quando eu os recebi eles estavam bem, estavam sorrindo, parecia que o tempo não havia passado. Só que o tempo já foi em mais de 40 anos terrestres. O tempo passa, o tempo voa, e nós continuamos fazendo as mesmas coisas. Apesar de estarmos em uma missão de esclarecimento ainda julgamos as histórias como se não fizesse parte do nosso acervo.

 

O período que equivale a uma eternidade se compõe pela compreensão dos valores de um mundo que se molda ao nosso pensamento. O registro no canal vermelho equivale à mesma sintonia, a mesma cidade, o mesmo padrão de vida. Tudo para que o espirito não regrida em suas emoções.

 

Vejam que eles desencarnaram na terra, mas Deus não os deixou desprovidos, eles foram para um lugar onde existiam os mesmos princípios de sua fé. A organização cristica nos revela os passos de uma vida diferente, algo que somente estando nos planos espirituais é que se pode comparar. Para se compreender o estagio de evolução é preciso abrir seu coração.

 

Missão é missão, mas cada missionário faz deste caminho o seu caminho. Uns vão pela direita, outros pela esquerda, mas não fogem de suas conquistas. De vez em quando somos chamados para pregar o Evangelho, quer na terra, quer no céu, mas devemos ter uma disciplina ligada a nossa ciência. As comparações existem como simbologia de um acordo firmado entre os dois paralelos.

 

Quando aqui no templo eu apertei a mão do espirito, eu, com ordens de Pai João de Enoque, fechamos um acordo de cavalheiros. Somos uma tribo de viajantes e isso que muitas vezes as pessoas não entendem, ficam na terra murmurando seus motivos e esquecem que temos a liberdade de ir e vir. Esta liberdade está no espirito e não no físico.

 

Que os mortos enterrem seus mortos, disse Jesus. Uma referencia aos encarnados que não respeitam a evolução espiritual, não material. Este espirito ficou fechando a nossa porta por muitos anos, mas em respeito a sua origem, a sua evolução e com este aperto de mão, tudo foi esclarecido. Graças a Pai João de Enoque que o trouxe para esta libertação. Milenarmente somos todos iguais só diferenciando no compromisso assumido.

 

Assim foi mais um dia de fé e amor, confiando sempre em nosso Pai Seta Branca que Jesus também confiou.

“EU VOU, MAS EM MEU NOME ENVIAREI O ESPIRITO SANTO QUE TUDO O FARÁ POR MIM”. Jesus.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

22.04.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , , , ,

Deixe uma resposta