CRISTAL PARTIDO…

Salve Deus!

 

Eu tinha um belo cristal e ele foi partido em muitos pedacinhos.

 

Procurando respostas no mundo dos espíritos eu tive a maior aula de compreensão, desde que entrei nesta missão. Falavam tanto para não partir os cristais, mas olhando para este enorme cristal lapidado pelo tempo, muitos queriam possui-lo e isso gerava muita confusão. De repente, em uma discussão, ele partiu. Eu juntei todos os pedaços e guardei lamentando o ocorrido.

 

Nesta viagem quando cheguei ao meu mundo percebi que alguns pedacinhos ainda estavam grudados em minhas mãos. Os espíritos foram chegando e fui entregando para eles os pedacinhos. Cada um recebeu a sua parte e ainda levei para algumas famílias no plano espiritual que estavam à beira da desventura.

 

Aproveitei para visitar duas famílias que vivem se digladiando. Ao chegar eles estavam separados pela dor e quando o cristal brilhou, eles se juntaram em volta da mesa para ouvir a minha história. Foi assim que eu percebi que um cristal era precioso para mim, mas não para os demais.

 

Quando ele se partiu eu fiquei triste e agora nesta partilha estou mais feliz, porque eles não tinham seus cristais, eles queriam e não podiam, pois a vida lhes fora muito dura. O merecimento é algo que deve ser dividido com sabedoria e amor, nunca pela imprudência. Eles não faziam nada para obtê-lo. Quando fazemos caridade nós começamos a adquirir pelos bônus o nosso cristal e a cada caridade ele vai aumentando sua dimensão. Se não formar o seu sol interior tudo o que você ganha num dia você gasta no outro. Não acumula, mas gasta mais do que tem. Isso se chama pobreza espiritual.

 

Na primeira visita a família estava em uma casa transitória de sua afinidade, um lugar diferente, um lugar onde cada um podia se reencontrar com suas origens. As origens espirituais se reencontrando com as origens físicas. Um plano secundário onde não prejudicaria ninguém, nem aos do céu e nem aos da terra. As da terra estavam pobres em suas culturas, presos ainda às dificuldades do planeta. As do céu eram mais luminosos, mas também presos a estes encarnados sofriam suas desventuras.

 

A segunda família foi diferente. Eles estavam apartados aqui na terra e ao chegar os espíritos que ainda não subiram estavam presos aos costumes sociais que conviveram. Não tinham o pão espiritual, não tinham dinheiro espiritual pra comprar. O sofrimento do arrependimento.

 

Eu compreendi porque o meu cristal foi partido. Eu o tinha como parte de um caminho longo, quarenta anos de missão voltada para a caridade sem em nenhum momento afastar meus pensamentos. Eu e minha ninfa esposa, uma ligação sem precedente, pois somos velhos companheiros de estrada, um sempre ajudando ao outro a caminhar.

 

Mesmo diante das intempéries do destino quando resultam os desencontros nós permanecemos ligados pelo coração. Eu não posso viver sem ela e ela sem mim. Os velhos contemporâneos que se amam pela consciência astral. É isso que ninguém entende, pois sempre cutucavam nossos corações procurando o despertar de nossa mente.

 

Não se preocupem se vossos cristais se partirem. Vejam que eles vão servir para alinhar vossas evoluções preservando suas vidas nestas dimensões. Tem muitos que não tem este merecimento de ter seu cristal e vão querer tirar dos que tem. Nossos cristais devem ser como uma linda árvore com sua base forte e galhos cheios de frutos, aonde quem chegar poderá se servir.

 

Somente com as explicações do céu é que chegamos às conclusões na terra. Que cada um tenha seu cristal bem lapidado, bem estruturado, bem fino sempre irradiando seu brilho pelos mundos de Deus Pai Todo Poderoso.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

06.04.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , ,

Deixe uma resposta