ADELINA…

Salve Deus!

 

Como são bacanas os encantos do amanhecer onde as flores nascem com mais alegria, as rosas desabrocham perfumando os corações, a vida muda.

 

Eu estava no trabalho hoje, sábado, e muitos mestres não compareceram a missão do dia, nos foi possível abrir um trabalho especial, como disse Seta Branca, simplicidade meu filho. Mas o que mais me chamou a atenção foi uma senhora vestida de azul, muito simples, sorria com alegria na face e não parava de me olhar. Eu fiquei encabulado, porque ela estava ali na frente do radar. Eu fiquei imaginando quem seria, porque não dizia nada, ficou com aquele simples olhar de uma senhora do espaço.

 

_ Me chamava Adelina, meu filho!

_ Salve Deus! Adelina! Seja bem-vinda!

 

Os trabalhos foram sendo realizados e ela ali aguardando alguma coisa, algum chamado, algum convite. Mas não, acho que estava acontecendo alguma coisa que nos traria surpresas. Os tronos estavam abertos e fui trabalhar com minha ninfa, mas no outro trono, esta senhorinha desceu e foi manipular. Eu fiquei satisfeito em ver ela ali com muito carinho pelos médiuns. Tupinambá estava no aparelho da minha ninfa e a senhora do espaço no outro aparelho.

 

Os trabalhos foram manipulados com a presença do meu amigo e irmão Cacique Caiapó, que muito tem me ajudado na missão de esclarecimento. O povo de Xingu estava ali presente dando sustentação a este trabalho do dia. O sistema mediúnico trabalha na razão do acontecimento e quanto mais simples, mais amor, mais vibração.

 

As tribos que rodeiam esta mata ao redor do templo asseguram a firmeza de nossos trabalhos, porque eles são vivos e construíram a aldeia aqui junto ao Pai seta Branca. A mata estremece quando eles estão promovendo os rituais do sol e da lua. Os cânticos das cachoeiras, das aguas, das matas, da Aruanda, são forças em movimento continuo. Eu fico sustentando a força no aleda para que a precisão estabeleça um comando.

 

Quando esta senhora do espaço, Adelina, atendeu ao doutrinador, ela veio com sua corte de princesas, tudo para amenizar as nossas necessidades, sim, porque temos por missão trabalhar com firmeza para não cair do nosso padrão.

 

Foi à coisa mais rica que eu já vi. O templo mudou todo seu ambiente e ficou com alegria nos rostos dos filhos de Seta Branca. A energia pipocava como pequenos cristais que se chocavam com o solo sagrado. O templo recebeu esta visita, mas quem vai descobrir quem é esta senhoria do espaço são vocês que são filhos queridos do coração dela.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

03.03.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

,

Deixe uma resposta