O CERCO

Salve Deus!

 

Tudo isso um dia será meu!

 

Nós estamos despreparados para um confronto de magnitude atômica. Não subestimem as forças que desconhecem, elas são poderosas e trabalham no silencio da mente.

 

Este espirito que veio falar comigo trabalha dentro de uma linha materialista, onde o dinheiro corre como mel, levando ao sacrifício povos e povos para o matadouro. Para ele é fácil manobrar as cabeças, basta iludir, basta conceder, dar e depois tomar. Quanto mais ele dá mais ele toma.

 

Os jaguares estão dormindo no ponto de suas missões, enquanto isso as assombrações norteiam uma escalada infernal dentro da mistificação humana. O homem está perdendo sua linha, está se vendendo por trocadilhos, centavos, porque tudo para ele reluz ouro.

 

Nesta passagem o Sete Flechas veio como um espirito evoluído, e ao sentar-se na mesa jogou suas castras sobre ela. Dando um momento de arrepio para que se chegasse ao compromisso. Uma aura egoísta, supremacia no olhar, certo que aos poucos ele está tomando conta. Dinheiro ele conquista de forma direta e sem fazer muita força, porque ele tem aliados que trabalham para concretizar sua idolatria.

 

O cerco está se fechando sobre os comportamentos, mesquinhos, vaidade, soberba, desmoralização. É tudo que ele precisa para se infiltrar cada vez mais em cada olhar, em cada coração, em cada passo dado. A violência não é tema que se descuide, porque quem vai se destruir é o próprio povo que cegos estão sendo guiados por cegos.

 

Pode dizer que são expectes, que conhecem e que sabem o que fazem, mas realmente sabem o que estão destruindo, e porque vocês estão fazendo tudo isso. A cegueira do homem que tudo sabe. O perigo da desintegração pela desobediência.

 

O espirito chegou, assim, sem autoridade, como amigo e logo foi dizendo que tudo isso será dele. O que vemos é um povo desiludido, sem esperança e doente. As forças estão tomando conta da obra e os obreiros brigam entre si como se fossem donos de tudo.

 

Acovardados pela desnecessidade de ouvir e sujeitos ao medo da resposta não perguntam mais ao mentor responsável. Não para as interferências, não para a desfiguração das vozes do céu, mas dentro do seu eu interior buscar o caminho, a verdade e a vida.

 

O que acontece depois desta vida, bom, isso cada uma vai descobrir quando deixar de respirar o oxigênio da terra. Vai poder ver com seus olhos a sua grande jornada, fracassada ou vitoriosa. Ninguém vai poder dizer que alguém perdeu ou ganhou, isso será respondido diretamente ao Divino Espirito Santo.

 

Lutem para sair desta fantasia, desta sintonia, da morte da fé. O homem deve ser grande pela sua cultura, pelo conhecimento da vida e da morte, e da reparação karmica. O grande mártir da terra está enterrado a sete palmos. Nós somos a única força que pode mudar o destino de milhares de espíritos.

 

Não se deixem lograr pelo silencio onde milhares de vozes ecoam pedindo justiça, clemencia e ajuda. Se todos escutassem estas vozes ecoando pela mente ficariam loucos em pouco tempo. Por isso elas estão afastadas de nós, estão separadas pela linha divisória do neutrôm. Às vezes eu tenho que fechar meus ouvidos pela gritaria que ecoa na eternidade dos planos etéricos.

 

A vibração mata, adoece e machuca quem é vibrado. As enfermidades chegam carregadas de energias pesadas que aos poucos vão infiltrando no físico trazendo dores. O físico padece de uma condição sublime para vencer os obstáculos da mente humana.

 

Lutem com coragem e não sejam pegos desprevenidos.

 

Ministro Obatalá está mais perto de nossa missão.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

20.02.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , ,

Deixe uma resposta