DECEPÇÃO

Salve Deus!

 

Os problemas pessoais jamais devem interferir em uma missão.

 

Quando assumimos esta missão, nós juramos lealdade ao mundo dos espíritos, para que tudo fosse uma correspondência direta da verdade pela verdade. Nós agimos no merecimento de nossas conquistas. Se não houver conquistas naquele dia, os bônus são aplicados em outra oportunidade. Mas eles devem ser aplicados em conformidade ao nosso coração.

 

Chegou aqui uma mulher, um espirito desencarnado. Era mais de meio dia quando ela se projetou no meu aleda, porque como é difícil para estes irmãos entenderem as suas obras. Quando eles não encontram nada do outro lado da vida se desesperam a tal ponto de desacreditarem em si mesmos. Foi o que aconteceu com esta irmã, uma freira de uma congregação religiosa. Ela sempre foi beata e nunca largou mão do seu rosário, mas não conhecia o outro lado da vida física. Ao chegar nesta viagem sem volta, ela viu os seus feitos ruírem como areia que se desmancha pelo vento.

 

Ao chegar, seu espirito estava se desfazendo, retorcendo, porque para os desencarnados que não tem uma linha direta eles enfraquecem seus espíritos e com isso experimentam uma transformação indiretamente na sua consciência. De roupa azul clara surrada pelo tempo de exposição ao mundo depreciativo ela veio falar comigo.

 

Eu fiquei somente prestando atenção na sua imagem, porque somos espíritos em transito pela terra e todos estamos sujeitos a estas intempéries. Pode ser até um jaguar que descrente fique de sua missão cairá pelos vales da incompreensão. Assim foi com esta mulher que esqueceu seus dogmas e passou a viver a sua dor, o desconhecido mundo de onde viemos.

 

A falta de energia, a falta de conhecimento, a falta de se apegar a uma fé a transformou em um espirito sem uma linha mestra. Como freira acreditava somente naquilo que via e ouvia nos sermões de sua catequese. Quando o outro mundo abre suas portas, suas asas, a profundidade de acontecimentos além-matéria estarrece os incrédulos homens e mulheres beatificados.

 

Não que um santo se tornará defensor de sua idolatria, mas convenhamos que para mudar estes costumes medievais devamos ser honestos para com o povo celestial. Assim ela chegou aqui com um riso irônico na sua boca retorcida para o lado. Como se me desafiasse, contando suas penúrias, seus fatos de assedio, a escravidão sentimental dos seus seguidores, como freira e como Pomba Gira.

 

Nas igrejas uma santidade e quando vai ao terreiro se transforma completamente. Espíritos desfigurados da máxima verdadeira. Rodando sua bata azul ela riscou no chão a sua oferenda e tão logo tudo ficou vermelho igual sangue. Eu não podia falar nada, porque quem somos nós para desafiar. Das cruzadas do calvário as mais impunes manifestações dos campos de prisioneiros.

 

Assim eu digo, não devemos trocar nossa bandeira rósea de Jesus pela força de um cruzamento milenar. Nunca deixe seus aspectos particulares serem mais fortes que a sua missão, a sua jura transcendental, porque ninguém sabe o dia de amanhã.

 

Hoje é um dia especial, dia de nosso Pai Seta Branca.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

14.02.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , ,

Deixe uma resposta