DE UM PLANO PARA OUTRO…

Salve Deus!

 

A transição dos espíritos é algo muito sério e complicado. É como enfrentar as feras do destino.

 

Estivemos, eu e meu povo, em uma missão muito difícil esta madrugada. O plano em que fomos ajudar as almas enfraquecidas era um breu e algumas vezes a coisa mudava para cinza. Olhando para aquele lugar triste e desolado parecia com um hospital abandonado, onde os espíritos continuavam presos ao seu passado.

 

Nossa missão era de libertar, mas havia perigo nesta retirada, espíritos caçadores estavam rodeando e gritavam horrendamente no silencio das mentes perdidas. A estrutura estava ruído, minando água em todos os cômodos. Aquela pequena multidão se organizaram em uma ala para não serem pegos sozinhos. Ao chegamos eles se refugiaram para o interior, e somente aos poucos foram acordando de suas dormências.

 

Conforme eu ia adentrando aquele lugar mais coisas eu via. Mas foi como uma lamparina que ascendeu no meio da escuridão e assustados eles queriam correr. Com muita calma fomos organizando expedições para esclarecer nossa missão neste hospital.

 

Conforme falávamos abertamente no etéreo plano nossa voz ecoava no vácuo sombrio indo diretamente na essência do espirito. Logo alguns começavam a sair do escuro, ainda receosos, mas já davam sinal de acreditar na nossa presença. Foi difícil, mas logo eles gritavam que a salvação tinha chegado e assim outros iam saindo de seus lugares.

 

Reunimos num salão todos que aceitaram nossa presença, mas o perigo era eminente, os caçadores estavam chegando ferozmente. Tinha que ser rápido, tinha que haver silêncio. Deixei todos ali sendo atendidos e fui para fora, em uma tentativa de desviar a direção. Chegando lá fora parecia que o céu estava chorando, era como chuva que respingava deixando mais desolado este lugar.

 

Chamei pelos grandes iniciados, chamei por Jesus e Pai Seta Branca. De repente houve um clarão e os espíritos caçadores se retorceram de medo e dissiparam pela noite fria.

_ Apressem tudo! Temos que sair daqui agora!

Foi uma correria danada para dar tempo de tirar aqueles sofredores desta condição triste. Retiramos todos dali e a gravidade foi tornando leve a ponto de todos flutuarem. Não havia peso prendendo os espíritos, eles estavam levitando iguais balões de gás. Assim foi mais fácil de lidar com eles, mais fácil de transita-los pela dimensão.

 

A vida missionária não fica somente na terra, ela se estende pelos planos na busca incessante aos menos esclarecidos. Onde tiver um jaguar ele exerce a sua missão pela sua mediunidade. Mesmo ele não vendo ou sentindo, ele oferece aos espíritos a sua condição de mestre conhecedor das forças.

 

Após ter retirado todos dali, um espirito veio me agradecer. Era um recém-desencarnado, um parente meu, um médico, que ainda está tentando mudar a mente de sua amada. Ela, porém, sente os efeitos de sua presença com falta de ar, mas não entrega os pontos, medo da verdade. Conforme vamos abrindo o canal sensorial de nossas mentes, sim, jaguares e irmãos, isso que está acontecendo com todos os filhos de Seta Branca que é a abertura mental psíquica de suas missões. A verdade plena sobre a falsidade.

 

Eu confio muito na espiritualidade que está dando condições de aliviar nossas cargas pesadas para podermos ajudar outros nesta mudança. A terra está para ser transportada pela quinta dimensão, onde serão todos convidados a esquecer do poder material e viver somente das energias. Quem tiver conhecimento da magia sobreviverá e quem não tiver como transmutar pagará seu preço.

 

Plexos perfeitamente preparados e alinhados com nossas evoluções. Hoje ainda é cedo para todos verem a grandeza de suas verdades, mas quem sabe chegará o dia em que todos realizarão fenômenos incríveis da manifestação das energias.

 

O médico veio me agradecer pela minha presença lá e sorrindo feliz agradeceu o meu empenho em levar um pouco de conhecimento aquele povo que surdos, cegos e mudos, se enterraram em suas covas. Vivem somente pelo oxigênio da terra e esquecem-se da vida regada de Deus.

 

Viver na terra, mesmo na condição sofrida é fácil, mas viver no mundo dos espíritos sem ter conhecimento de si mesmo é uma grande desvantagem. É dar condição de ser escravo de uma condição triste e sofrida.

 

Todos foram elevados e felizes como balões iam se desprendendo daquele lugar. O hospital estava fechado, mas dentro dele havia vida espiritual. Foi difícil, foi, mas foi preciso para libertar aquela multidão acrisolada em suas próprias dores. Ser jaguar é ter pleno conhecimento das rédeas da vida e da morte.

 

Somente Pai Seta Branca poderia fazer o que fez: mudar nossos destinos karmicos para destinos espirituais.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

07.02.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , , , ,

Deixe uma resposta