SERES DE OUTRA DIMENSÃO

Salve Deus!

 

Seres encantados.

 

Recebi, esta noite, a visita de um ser diferente. Ele estava sendo perseguido por outros espíritos para rituais de magia. Todos o conhecem como sátiro, sim, um espírito que não se apresenta diretamente, ele fica sempre oculto, observando.

 

O sátiro foi considerado inimigo dos devas, divindades, mas o porquê dele chegar aqui e me procurar, pedindo lugar para esconder-se. Aqui neste solo sagrado temos a proteção das legiões, onde uma corrente magnética separa as energias negativas e positivas. Ele veio rápido, porque ele consegue penetrar nas dimensões rapidamente e sutilmente aparece onde seja menos percebido.

 

Tempos atrás havia um que sempre assustava quem entrasse aqui no vale. Ele ficava escondido atrás de um pé de limão e ali ficava correndo de um lado para outro. Parecia um cabritinho novo dando pulos, mas as pessoas levavam sustos, porque seus cascos batiam nas pedras com força dando arrepios e medo.

 

Este desta noite era fêmea. Ela pediu ajuda e esconderijo até que o perigo passasse. Uma multidão de espíritos horrendos a estavam caçando, eram espíritos caçadores, mas o objetivo eu não posso dizer qual seja. Geralmente estes seres mitológicos são de grande valia para rituais macabros, rituais de sacrifícios, porque a magia se entende pela necessidade de poder. Todos estão na magia para ter poder, para serem diferentes dos demais, para exaltar sua força e seu conhecimento.

 

Ela se escondeu num armário, porque já estava cansada de varar os planos espirituais. Havia um líder destes espíritos que conhecia os segredos de sua existência e isso a deixava a mercê de sua caçada. Olhando para aquele quadro dava para ver nitidamente homens cavalgando atrás de um animal até que conseguissem seu troféu.

 

Eles passaram perto, não entraram. A energia espiritual que forma nossa proteção é como uma redoma que impede deles atravessarem. Eles perderam o rastro e agora o que vamos fazer com ela aqui. Aqui nestas matas sagradas poderá servir como abrigo, como a própria natureza nos recebe, pois o povo de Xingu também montou suas ocas e vivem calmamente aqui ao lado da casa de Seta Branca.

 

As nossas missões tem muito segredo a serem descobertas, coisas que somente o espirito pode avaliar a sua condição de abraçar as maravilhas dos cenários. Como deste ser mitológico que pediu guarida porque estava sendo caçado pelos bandidos do espaço. A que finalidade ele iria servir, quais rituais seria sacrificado, até porque seria como um troféu nas mãos dos seus algozes.

 

Metade mulher e metade bode. Abri a porta do armário e a deixei ir. Saindo pelas matas do solo sagrado ficou no silencio da madrugada observando, me observando, porque somos diferentes, somos conhecedores da alta magia. Não havia maldade em seus olhos, era um espírito brincalhão, gosta de assustar, gosta de surgir do nada e quando alguém tenta ver desaparece.

 

São geralmente alegres, trazem felicidade e gostam de musica. São acompanhantes dos pastores de ovelhas, vivem pelos campos e montanhas dançando e perseguindo as ninfas. Onde tem musica ele pode estar presente, desde que sejam aquelas que ele gosta. Só que desta passagem foi diferente, havia perigo, havia sacrifício pelo ritual da maldade. Espíritos das trevas caçando os sátiros para finalidades terríveis.

 

Agora ela está livre pelas matas do amanhecer. Às vezes as pessoas desconhecem os segredos da invisibilidade que nos torna invisíveis aos perigos de nossa vida. A criação de um patuá espiritual nos deixa livre das perseguições. O talismã é um patuá. Ele foi deixado por tia Neiva para proteger seus filhos nesta missão, mas ele deve ser magnetizado pelo cruzamento das correntes positivas e negativas. Tia me ensinou o ritual de transferência desta corrente para o talismã, para nosso patuá. Segredos que não se revelam, pois podem perder a essência de sua atividade geradora.

 

O patuá é usado pelos grandes iniciados. Geralmente pendurado em seus pescoços eles fluem pela variação das energias dos planos. Cada plano, conforme sua vibração, sua cor, ele tem determinado grau acessibilidade. Este patuá torna invisível quem o carrega deixando assim um caminho livre e sem superstições. Olhem para as figuras ilustrativas e vejam que cada uma delas tem seu patuá.

 

São forças ocultas em movimento. Tudo é energia em transição, tudo é conhecimento científico espiritual. Nós somos uma espécie de assentamento das forças, elas descem ou sobem, e nós intermediamos estes acontecimentos sem ver a realidade que acontece.

 

Então, tudo é amor. Tudo é consciência, nada pode acontecer sem as bênçãos dos céus.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

24.01.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , , ,

Deixe uma resposta