EMANCIPAÇÃO

Salve Deus!

 

É muito grave a situação de nossas missões.

 

Estamos assistindo a maior guerra missionária de todos os tempos e em todos os templos. A nossa missão está se tornando materialista a ponto de não se ouvir mais a voz direta do céu. Isso está conturbando as mentes que estão se atrofiando pela necessidade de uma transformação, porque quando uma voz ecoa pelo silencio, outras se dizendo politicamente corretas repelem com violência.

 

Esta noite foi conturbada no aspecto missionário. Mas sempre o mundo espiritual tem jeito para aplicar seus valores sem que sejam barrados ou violentados em seus meios para atingir a verdade. Os prontos socorros espirituais serão classificados em suas decisões diretas pela universalidade das conquistas indiretamente no sol interior.

 

Teremos então a emancipação dos espíritos e não mais a perpetuação dos valores que seduzem os olhos pelo basto brilho. Somos missionários em muitas linhas, aqui mesmo no amanhecer, porque viemos de mundos afins para servir e se servir no altar dos manjares fluídicos.

 

O que eu vi foi que os templos estão passando por uma missão extraordinária, a cúpula diretora não percebe a movimentação silenciosa à margem da esperança. Seremos, então, decifrados em nossos enigmas, para que sejamos livres em pensamento para ir e vir sem menosprezar a forma de atuação que seja fisicamente ou espiritualmente.

 

Exemplo: Eu sou responsável por um templo e este templo será à base dos espíritos encarnados e desencarnados. Mas com as novas decisões dos planos divinos, as novas nomenclaturas, isso colocará um fim nas prováveis interferências terrestres. Seremos somente uma base onde os espíritos se deslocarão de suas conquistas para prestar sua caridade.

 

Se tudo é espiritual, nada mais justo que os espíritos se reencontrem e se manifestem diretamente sem precisar se deslocar fisicamente, e sim espiritualmente. Mas tudo ao seu tempo e nada fora do contexto doutrinário.

 

Eu estava no templo ontem observando as reações dos espíritos. E vejam: um espírito de um jaguar desceu na mesa, com tanto ódio, com tanta raiva que me deixou pensativo. Como um filho de Seta Branca que já teve todo esclarecimento da missão se tornou um sofredor sem esclarecimento algum. Tudo que ele aprendeu do Evangelho nada se aproveitou, ele cuspiu como bagaço de cana. Algo que ele recebeu, mas não deu valor algum. Para ele não existe perdão e sim vingança.

 

Eu olhava para ele e ele me fitava com seus olhos fechados pela dor da revolta. Muitos virão, mas poucos serão chamados. A reciclagem dos espíritos será uma controvérsia missionária, porque nem todos são da tribo do jaguar, muitos vieram como pacientes e continuam sendo pacientes. São como uma parede que sem porta continuam presos ali.

 

A doutrina é apolítica, mas os políticos de plantão estão tornando ela um partido de interesses. Tudo que é partido não é inteiro. Se a doutrina partiu seus elos, ela demonstrou que tudo que aprendemos nesta viagem de descobrimento nada foi aproveitado. Muita decisão material e pouca motivação espiritual.

 

Quando eu me refiro ao testamento que vamos deixar para as futuras relações entre a terra e o céu me dá medo da continuidade. O céu não compactua com os desvios de conduta, ele observa se haverá mudança no comportamento, dando até a última gota de esperança para uma reação positiva. Quando não se tem mais chance, se esgotou os créditos e recursos, as decisões são de arraste do espírito para fora do sistema mediúnico.

 

Foi mais ou menos e que está acontecendo com este irmão. Esgotaram-se os seus bônus e sem ter como compensar sua falta de ética e luz, não se sabe qual seu destino, talvez se tornar um zombador da doutrina. Um obsessor da missão.

 

A emancipação dos missionários. Haverá um templo espiritual onde todos receberão dos olhos da verdade as suas ordens diretas e ali depositarão suas oferendas, bônus, para aplicar na libertação dos prisioneiros materialistas. Seremos então um grande exercito consciente e não haverá duvidas quanto ao que veremos no raiar de um novo amanhecer.

 

Um novo amanhecer.

 

Não lutem contra seus princípios, lutem pela bondade divina. Vocês são especiais, pois estão levando a chama branca da vida iniciática dentro do seu invólucro e mesmo caindo a maior tempestade ela não se apagará. Apagará somente para os que se desviaram de suas metas e suas convicções.

 

A pior coisa para um espírito missionário é perder a luz de seus olhos. A cegueira fecha todas as portas celestiais, pois um mundo negro se abre a sua frente e sem consciência é arrastado para dentro dele. Lutar contra a luz é perder sua evolução. Lute contra a escuridão, esta sim, é um abismo colossal.

 

Conquiste a sua base e depois construa com suas próprias mãos os seus alicerces, mas nunca se desvie da sua conduta moral.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

21.01.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , , ,

Deixe uma resposta