PEDIR DEMAIS

Tia Neiva. Fundadora do Vale do Amanhecer – UESB.

Salve Deus!

 

As dividas vão se acumulando sob as asas do silencio e depois lá na frente, sem bônus, a pessoa não tem como pagar tantos pedidos.

 

Os espíritos não saciam suas vidas por nada deste mundo, eles querem cobrar, querem tirar tudo que os outros têm. A nossa vida é um caminho de conciliação, de aprendizado, por isso temos que ter consciência de tudo que estamos fazendo. Não fale de sua vida, dos seus merecimentos, de suas conquistas para ninguém. O conteúdo de sua evolução é para a sua caminhada, porque muitos não têm merecimento de ter o que pedem.

 

Eu trabalho no silencio da madrugada, quando nesta parte da terra o sol se esconde liberando os efeitos da cura luminosa. Trabalho na força da luz, do raio lunar, no silencio da mente. Vejam como é importante o conhecimento da ciência dos espíritos. Quando um espírito se desprende por alguns milímetros da sua couraça os médicos curadores tem a oportunidade de refazer as células deficientes. Eles vão com seus bisturis magnéticos raspando aquela camada queimada e aplicando como se fosse um raio laser para cicatrizar a ferida.

 

A lua é o nosso ponto de contato, mesmo ela sendo cheia ou nova, ela está sob o efeito da luminosidade do sol. Neste exato momento das nossas preces vemos o raio lunar descendo diretamente na essência da terra, sobre as cabeças dos enfermos, dos necessitados, dos desesperados. É como a réstia do sol que bate na lua e reflete sobre a terra. O sol queima os espíritos e a lua refresca seus corações. Para aguentar a força do sol nossos espíritos têm que estar encarnados, só assim a couraça nos protege.

 

Quando os raios lunares não chegam diretamente na terra, eles são desviados pelas densas nuvens, os espíritos se comportam indiferentes, eles deixam de receber a força para combater os efeitos negativos. Olorum é força branca, raio branco, força dos efeitos lunares. Ao ele receber a força branca do sol que se cristaliza na atmosfera em cores abstratas, vão se transformando ao passar da ligação com o mundo invisível. Vejam que a ligação terra-sol-lua é algo maravilhoso de se contemplar, algo surreal, algo distinto na sua forma de agir e sentir.

 

Da terra não vemos tudo que queremos ver, mas do espaço, da dimensão zero, podemos ver a sincronia dos astros a brilhar. Cada pontinho brilhante no firmamento é uma força que se projeta pelas constelações do zodíaco. Por isso as doze casas transitórias foram criadas para que cada espírito em sua esfera de transição pudesse compreender a si mesmo.

 

A evolução não está na multidão, mas sim, o endividamento karmico. Quando você está envolvimento em uma comunidade, ou tribo, se você não tiver consciência de sua jornada você se endivida muito mais que se estivesse sozinho na sua estrada. A lua está no silencio da madrugada derramando as mais puras energias celestiais.

 

Os espíritos sofredores encarnados são mais terríveis que nós podemos compreender. Eles são diretamente ligados ao seu mundo e basta um dizer uma palavra para que ele mostre a sua cara. O equilíbrio nos afeta diretamente, mas quando desequilibrados perdemos a razão.

 

A centelha cósmica divina é suave e desconcentrada. Para receber esta inundação em nossos corações é preciso estar com sua mente calma, irradiando amor e perdão. Não devemos cutucar as onças do destino karmico, porque elas são feras condicionadas a sua prisão. Elas estão envolvidas em uma corrente do mal e não tem condição alguma de mudar seus destinos. Podem mostrar a sua bela face no espelho da vida, mas são distorcidas da verdade.

 

Conhecendo a técnica do desdobramento espiritual, eu uso com minha ninfa para destravar o inconsciente do encarnado trazendo a luz da verdade seus pensamentos. Como é triste, como é difícil um ser humano amar de verdade, ele só pensa em si mesmo e não no próximo. Esta técnica eu estou aplicando no desenvolvimento da minha família, porque ninguém compreenderia esta transição dos espíritos.

 

São formas de mudar o pensamento, da multiplicação do conhecimento, e da manutenção dos plexos livres das impregnações. Mas o que eu vejo neste amanhecer é uma condição sofredora muito além do que esta missão absorve, como disse Seta Branca: Somente dos céus ouvireis.

 

À noite eu saio no meu silencio e vou amparar os descontentes. Os espíritos quando saem de seus corpos são o que são, uns são bonitos e outros feios. O que muda a fisionomia espiritual é a bondade do coração. Quando um encarnado está ruminando sua maldade pela inveja, pelo ódio, seu espírito é todo deformado. Ele não consegue nem abrir suas mãos que tortas pela impregnação negativa se enrolam todas.

 

O nosso amanhecer está passando por uma grande transição espiritual. Que se segurem quem tem amor e coragem para não cair na tentação das forças ocultas. Pai Seta Branca me disse espiritualmente que muita coisa iria mudar, e então, começou esta mudança. Hoje vemos os corações dilacerados pela insuficiência de não escutar as vozes do céu. Preferem escutar as sombras dos destinos a que ver a luz refletindo na lua.

 

Lua, divina lua, canto das Yuricys Luas, como é belo esta ligação que elas buscam do céu. Formando lindos rosários prateados que enfeitam os aledas da terra. Quando a lua então projeta seus raios luminosos em forma de prata liquida o mal se desfaz e os espíritos recebem a cura.

 

O dom de amar e perdoar. Uma pessoa que ama não odeia, uma pessoa que odeia não perdoa.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

10.01.2018

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

, , ,

Deixe uma resposta