PORTAL


Salve Deus!
Quando construímos um portal, o nosso portal, ele é regido pelas coordenadas de sua localização, então, aqui onde estou, em São Paulo, teria que reconstruir outro portal. Como fica difícil fechar após a abertura, eu deixo fechado.
Estou trabalhando somente com as energias da terra, desintegrando a massa pesada, transferindo de um lado para outro, limpando a crosta da força que atua criando tempestades no esotérico. Não ultrapassei o neutrôm e nem fui buscar a equiparação mediúnica, e como faz falta estes equilíbrios para controlar a densidade das camadas inferiores e superiores.
O resgate da personalidade e da individualidade está se dando pela formação diferenciada, atuando diretamente na psique humana controlando o sensor da mente pelas ondas dispersas. Uma explosão direta, uma espécie de varredura atômica que vai agindo na desobstrução dos canais sensoriais.
Como eu não quero criar um portal interdimensional aqui nesta cidade, eu vejo a balança sendo controlada pela função especifica do eu na sua matéria. O espirito livre das amarras percorre o silencio das madrugadas interagindo pela força do amor.
Difícil explicar sem poder demonstrar como se forma os raios da esfera orbital. Primeiro nos desligamos das velhas estradas para formar as novas, e somente conhecendo a sua verdade poderá criar outras intenções. O perigo de criar um portal e deixa-lo aberto sem manutenção é o mesmo que abandonar sua casa e ir morar em outro destino. Cada ser que nasce em uma especifica cidade ele tem o seu registro espiritual designado para aquele endereço. Como muitos se mudam ele deixa de ser reconhecido até que crie outro endereço e registre-o pelas suas preces favorecendo a sua localização.
Eu, ao chegar aqui, não fiz, não registrei um novo comando. Só fui ver a necessidade quando Tiãozinho chegou para nos visitar e saber como chegamos de viagem. Foi uma viagem difícil, São Paulo é uma Capital que não dorme e não para, por isso perdemos mais de 3 horas presos no transito.
A nossa missão é compreender e aprender os desígnios do caminho e não se atrapalhar pelos enredos que nos cercam. São muitas histórias, são muitas vozes perdidas neste pequeno espaço que não abre seu portal para desintegrar estes pensamentos. Eles flutuam na orbita desta cidade e vai chegar um momento que a densidade mediúnica vai ficar tão pesada que irão desabar como chuva de granizo cinzento.
A impregnação mediúnica, coisa que ninguém vê ou observa, mas fica estacionada acima da crosta, em uma cama que eu diria a alguns metros das cabeças. Não tem como eu precisar qual distancia, da terra se vê a formação da massa, mas do espiritual, sem o portal, não se distingue nada.
Eu precisaria criar um novo portal, mas depois não poderia fechar tendo que voltar para minha origem no Paraná. Por este portal, sem o guardião, poderiam passar o dia e a noite, sim, positivo e negativo. Quando estamos fora da orbita terrestre o nosso portal se move conforme nossa conquista. Não precisaria estar interligado pela terra, mas como estamos acomodados na terra, então não se cumpre as promessas.
Eu estou fora do portal, mas a espiritualidade se localiza pelas preces dos seus abnegados médiuns. Sim, fica mais fácil a espiritualidade criar um portal interdimensional sem limite pela terra e não a terra criar um para se mover pelas tempestades.
A dificuldade de se localizar uma vida é como buscar uma agulha em um palheiro. Os registros das vidas fora da terra só se localizam pela mediunidade. As famílias espirituais em suas origens só vão saber de cada filho pela sua interligação com o mundo espiritual. Não se pode ter noticias de ambos os lados sem o registro na terra e no céu.
Por isso que temos uma chave iniciática neste amanhecer que aumenta a capacidade de compreensão das forças em suas movimentações. Eu sou, eu posso, eu conheço. A maioria dos grandes iniciados não ensinam o caminho da verdade, porque eles não confiam no homem em si, eles preferem atenderem a que um encarnado chegar ao supremo e depois desviar sua conduta. Eu vejo como Tia Neiva sofreu para manter esta escola sem a interferência dos valores humanos. Ninguém a entendeu e ninguém soube da verdade do seu grande amor cristico. Na terra todos se julgam pelas imagens e desconhecem os segredos da justiça celestial.
Para um bom entendedor meia palavra basta.
Salve Deus!
Adjunto Apurê
An-Selmo Rá.
23.12.2017

Deixe uma resposta