GRANDE FESTA

Salve Deus!

 

A se a terra fosse igual. Ou eu estava vivendo num mundo de ilusão, ou a terra seria uma fantasia.

 

Fui convidado a entrar nesta dimensão e por mais que eu quisesse parar, mais eu me aprofundava nesta descoberta. Cheguei e havia uma grande festa. Era um enorme estádio, muita gente, centenas de milhares de espectadores fazendo a maior festa com os que se apresentavam. Não havia tristeza, e esta alegria marcava o inicio da transformação do tempo. Os homens e mulheres deste mundo distante estavam somente preocupados em dar as boas vindas.

 

Fiquei na entrada e dali eu olhava para cima, ao redor e para o centro. Tudo em harmonia, não havia um desvio de conduta. Milhares de vozes entoavam em uma só sintonia os gritos se divertindo com os artistas, se eu podia dizer assim, porque eram os mais destacados em suas famosas apresentações.

 

Fiquei pensando, onde seria isso, onde estes habitantes estariam neste sistema.

_ Você está acima do canal vermelho!

As respostas chegam pelo canal sensorial, como se fosse uma reação ao seu pensamento que na terra chamamos de intuição. Esta forma de comunicação mental, telepática, entra pelo nosso sistema mediúnico fazendo as mudanças no endócrino, atingindo nosso fluxo energético para estar receptivo.

 

O fluxo extra-energético altera o metabolismo e quando se produz além da conta vai se acumulando pelo tecido físico. Tumores que chamamos de gordura ou massa se apresentam em várias partes do corpo e geralmente são doloridos. Esta solidificação estranhamente causa um rompimento no tecido fibroso, fica como se fosse encapsulado.

 

Foi então que vendo este cenário das organizações acima de nossas conquistas, eu me deparei comigo mesmo. Eu ouvia, via e sentia aquela onda de vozes criando um campo dentro da minha psique. Foi um transporte diferente, algo que eu não esperava, uma surpresa, em ver pessoas diferentes e mais sintonizadas com suas evoluções.

 

Eu não queria voltar antes que terminasse aquele festejo, mas nosso tempo é diferente do tempo espiritual, nosso corpo não se sujeita a se desligar além do necessário que pode ser horas ou minutos. Tudo acaba quando voltamos a penetrar em nossa dimensão, mas as lembranças ficam guardadas na memória do eu interior.

 

Nosso eu interior é como uma película fotográfica que grava as imagens e os sons de onde vamos. Tudo é registrado num filme e ele se apaga quando reentramos em nossa atmosfera. Quando todos tiverem consciência de suas missões poderão desenvolver esta atividade que marca o inicio da transformação, da renovação, da evolução. Somos espíritos encarnados e não corpos desencarnados. Enquanto houver vida nós prestaremos conta de nossas atividades.

 

Tudo é bacana quando os ativistas da mediunidade procuram lançar mão de suas relações e passam a conviver em harmonia consigo mesmo. Lá no fundo daquele poço existe luz, mesmo caindo do seu pedestal, pois a sua natureza extracorpórea exemplifica o seu trabalho de remanejamento. Não sejam tão duros com vocês mesmos, como disse o mentor, muita coisa irá mudar.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

06.12.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta