HERANÇA TRANSCENDENTAL

Salve Deus!

 

Nós, no templo, devemos prestar muita atenção em nossas vidas, em nossas heranças transcendentais.

 

Esta madrugada eu vi quando o mentor de luz deste amanhecer trouxe uma herança transcendental para receber a verdade doutrinária. Nós não precisamos de muita coisa para atender o objetivo do sacerdócio, bastando ter consciência de quem somos e o porquê nós estamos nesta missão.

 

O templo estava em paz, muitas energias bacanas em transição de Mayanti para a terra, porque a preparação do corpo mediúnico se dá pela valorização do ser humano. Nós devemos nos preocupar com a nossa evolução e não com as dos outros, porque se olharmos sempre na direção oposta nós esqueceremos de nós mesmos.

 

A casa de Pai Seta Branca é um templo, um pronto socorro e não um hospício ou manicômio. Aqui as pessoas vêm para se curar, se não têm físicos, tem milhares de espíritos esperando o atendimento. Se o templo é cura espiritual, então é para os espíritos. Claro que o físico também se cura libertando o espírito cobrador.

 

Foi, então, que no comando dos tronos eu vi quando a mulher passou por mim. Ela estava esperando a oportunidade de ser atendida pelo doutrinador que era o destino desta cobrança. A herança pode ser encarnada ou desencarnada. Assim como eu vi a mulher, ela era encarnada e tão logo foi assistida pelos mentores desta casa. Os desencarnados são diferentes no aspecto de suas energias que não se iguala aos encarnados transportados de seus mundos para o templo.

 

Ao chegar no trono a força se multiplicou dando razão ao sofredor que esperava a condição de falar a sua verdade. Verdade esta que pode salvar um desencontro pela necessidade do amor ou da dor. O efeito da cura se processa pela visão antecipada da presença e não pela distorção da realidade.

 

Pai Seta Branca estava presente nos atendimentos e foi ele quem trouxe esta herança para receber o testemunho da doutrina de Jesus. A variação sentimental que fica presa no coração é como um pesadelo, é algo tão inusitado que mata asfixiando sua vitima. Porém, o mundo espiritual age de forma a desprender os elos que se ligaram através das juras transcendentais. Amores de vidas que se amaram e hoje estão separados pela carne. A pior separação do amor é quando estão unidos nos mesmo laços consanguíneos, dizemos intocáveis, pois são filhos do mesmo pai e da mesma mãe.

 

Esta é a maior divida de um amor sem amar. Por isso devemos prestar atenção nestas roupagens que se afirmam no nosso sonho de sair pelo mundo em busca de outras riquezas. O sonho dos ricos e dos pobres que definem pela cultura de quem é quem.

 

Foi preciso abrir o grande véu para chegar à profundeza deste coração e lá começar a plantar a semente da esperança e da fé. Os espíritos precisam desta oportunidade para sair de sua condição sofredora, do seu casulo, e respirar o oxigênio da vida eterna. Eu desprendo o espírito da matéria dando a cada um a condição de realizar seu sacerdócio na edificação de uma nova roupagem. Todos são preparados por Pai Seta Branca, ele nos assiste diretamente da sua casa astral. A única coisa que ele pede é o amor de Jesus.

 

A rebeldia de um espírito encarnado quando está fora de sua roupagem física demonstra o quanto ainda nós estamos aprendendo o verdadeiro caminho. Nós somos físicos e trabalhamos para ele, o físico. Mas e agora, somos parte material e outra parte espiritual, não consolidamos mais com os desajustes dos desencontros fora do sistema mediúnico.

 

Vendo os quadros narrativos da nossa frequência, chegamos ao fundo de mais uma partida iniciática. Seremos nós os primeiros ou últimos a penetrar no vasto mundo.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

02.12.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta