PORTA FECHADA

Salve Deus!

 

Quando uma porta se fecha é porque estava havendo manifestação contraria a missão.

 

Um adjunto tem todas as regalias dentro deste mestrado, mas ele deve andar pela luz e nunca se afastar do seu sacerdócio se envolvendo nas mesquinharias da humanidade. Caso ele se envolva quem paga as suas juras é o seu próprio sacrifício, pois até o céu se afasta.

 

Somente foi dada aos doutrinadores a missão de esclarecer a verdade, para que com consciência eles produzam a sabedoria e não fiquem presos as teias como insetos prestes a serem devorados pela falta de sintonia. Quando, também, um doutrinador ou apará entra pelas veredas sombrias, eles se afastam do principio superior e vão gastar seus bônus para não sacrificar seu destino. Estes bônus que eram para a evolução material e espiritual passa a pagar pelos seus erros. Sua vida vai parando, até que sem bônus não mais tenha coragem de enfrentar seu destino.

 

A missão deste amanhecer é do doutrinador consciente de sua verdade, não do mestre movido pelas palavras impensadas. Tia chamada de gregorinhos, os que só fofocavam e falavam da vida dos outros, sem olhar para si mesmo, pois tinham a difícil missão de cuidar da vida dos outros e fazer com que eles divergissem das leis do amanhecer. A casa está desmoronando e a cegueira nos os deixam ver a verdade.

 

Eu não me preocupo com os falatórios, pois sei que ainda estou à frente. Se um dia eu ficar na mesma sintonia quer dizer que tudo que foi investido, por Pai Seta Branca e Koatay 108, em mim se perderá. Eu serei o mesmo escravo da falsa idolatria.

 

Ser adjunto de povo está nas leis do amanhecer. Todos um dia serão adjuntos de povos, mas se não tiver princípios de amor, de ordem e lei, não passarão no teste de convivência cristã. Serão somente bonecos, fantoches dos espíritos sem procedência. A lei é para todos, para mim, para o corpo mediúnico, sejam aqui ou em qualquer templo do amanhecer.

 

Eu tive muitas visitas esta noite. Espíritos desalinhados com suas vidas, espíritos se apagando dos seus leitos de adormecer sem rumo e sem destino. Uma coisa esquisita, porque eles ao invés de se preocuparem com suas metas evolutivas estavam preocupados com a vida alheia. Estavam como bisbilhoteiros cercando suas vitimas com seus olhares e pensamentos. Nesta casa que eu fui visitar, embaixo dela havia um buraco, e ao abrir a terra um fosso de excrementos. Ao ver o que havia ali, eu fechei de novo, pois eram as verdades infernais acumuladas sob os pés do dono desta morada.

 

Os bônus da missão se transformaram em resíduos karmicos. Como diz o ditado popular, dar pérolas aos porcos, elas foram pisoteadas e esmagadas a ponto de não ter mais energia luminosa. As pérolas se tornaram excremento, não serviam para mais nada, a não ser alimentar o coração com coisas negativas.

 

Aquele buraco fedido alimentava somente a discórdia e não a juventude. Os espíritos daquele local estavam sem energia, pois o que recebiam de Deus a terra sugava. Aí mora um grande perigo, o desfalecimento do perispirito pela ausência do consolador. Cada um busca o seu merecimento, a sua condição libertadora ou sofredora. A única coisa a ser feita é mudar deste lugar e começar tudo de novo.

 

Vejam como a ordem de um adjunto muda o destino. Tia estava indo da casa grande para o templo e um adjunto, assim, por brincadeira disse para ela: _ Tia, hoje a senhora não pode entrar no templo! Ela simplesmente virou suas costas e voltou. _ Tia! Foi brincadeira! _ Não meu filho! Quando você disse isso os cavaleiros cruzaram suas lanças e eu não podia entrar! Naquele instante se confirmou mais uma lição de amor que todos vão esquecendo com o tempo e vão lançando mão da vida sem amor.

 

No mundo dos espíritos luminosos todos se respeitam, mas no mundo sem luz não há respeito. Nossa missão pode se tornar luz ou trevas, dependendo de cada convidado, de cada mestre, de cada apará ou doutrinador. A preocupação com a vida dos outros nos leva a carregar o fardo também daqueles que foram sacudidos pela falsidade. A espiritualidade é sabia, simplesmente ela tira uma parte do karma e deposita sob os ombros dos maus amados, dos agourentos da morte sombria.

 

A inveja faz isso. A inveja mata pelos olhos e pela boca tornando a vida um inferno, pois os espinhos dilaceram a alma e perdendo a esperança morrem todos. Tomem cuidados com os gregorinhos de plantão. Não sejam vocês a perderem as bênçãos dos céus. Eu prefiro o céu, porque a terra compromete o encarnado com promessas de grandeza.

 

Quando todos deixarem de olhar por este ângulo aí compreenderão a sublime mensagem de nosso Pai. O amor constrói e o ódio destrói. Ser adjunto é ter as leis sob seu comando e comandar sem olhar para trás. Existe um caminho sendo construído pelo adjunto consciente, pois o povo que está vindo atrás pode ser como espadas resplandecentes ou como um punhal amargo.

 

Doutrinadores abram seus olhos e não se deixem envolver pela indisciplina mediúnica. Cortem pela raiz as conversas tolas e sem fundamento evolutivo. Um doutrinador ou apará falso é como um falso profeta, chegará um dia que ninguém quer a sua presença e ninguém acredita mais em suas palavras. Nós criamos nossos caminhos e eles podem ser de rosas ou de espinhos.

 

Cada um constrói a sua casa com alicerces forte ou fraco, ela pode ser de rocha ou de areia. Quando um adjunto fecha as portas ninguém mais abre. A evolução para e quem perde são os falsos profetas.

 

Foi designada a doutrinadora, Dra. Angel, para ser ouvidora deste amanhecer. Quem tiver dúvidas quando a aplicação das leis e normas deste amanhecer poderá consultá-la. Naquele castelinho na entrada do templo poderá sentar-se e buscar orientação missionária quanto às decisões do mestrado.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

26.11.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta