DESESPERO

Salve Deus!

 

Os espíritos estão se desesperando, estão cobrando suas vidas materiais.

 

Eu vi um quadro assustador, muitos jaguares desorganizados em suas missões, todos morrendo pela falta de esperança em dias melhores. Eram tantos pedidos pela bonificação dos seus caminhos terrestres. Em primeiro colocando pai Seta Branca na parede, depois se referindo a Jesus, como se eles fossem culpados de suas derrotas.

 

Olhando para cada um, mesmo sendo desta missão, estavam apagados. Não havia bônus em seus destinos. A missão se tornou um ponto facultativo de exigências e não mais de amor, caridade e compreensão. Realizar um trabalho sem a contagem dos Avatanos é trabalhar de graça, digo, trabalhar e não receber nada pelo merecimento.

 

Quando me viram formaram uma fila, porque eles não conseguiam chegar ao Pai, estavam desequilibrados. Eu fiquei até com receio de falar alguma coisa, neste estágio de inconformismo eles podem cometer maiores desatinos contra os seus próprios caminhos.

 

_ Mestre! Como você pode e nós não podemos!

_ Salve Deus! Fé, meus irmãos, a fé tem que ser inabalável!

 

Assim eu ouvia os gritos dos mais distantes, sim, eles se comprimiam para chegar mais perto. Aquilo tudo foi ficando perigoso, porque os mestres se tornaram pacientes de uma vida sedimentada pela falta de esperança. Estavam desnorteados, porque na terra estavam passando dificuldades com o lado material. Só que ao se transportarem para o mundo espiritual, pensavam eles, que estavam ainda na terra. Não se viam na fluidez do espírito, estavam se martirizando pela falta da visão do eu interior.

 

Como foi difícil apaziguar os mais exaltados. A vida na terra cobra centil por centil as nossas juras transcendentais e elas estão vindo com mais intensidade. O tempo reescreve sua história e quem tem calma no seu coração sobreviverá ao holocausto. Esta passagem marcara um ciclo que se moverá pelo pranto das lágrimas que penetram na dimensão. Choram, pedem, mas não se entregam ao prazer dos espíritos livres das amarras.

 

Para que sofrer tanto, vamos em primeiro cuidar dos nossos espíritos que clamam por justiça. No céu eles cobram os benefícios da terra e na terra pedem os benefícios do céu. Não está havendo coerência nesta fase de adaptação, todos estão voltados com suas costas para si mesmos e suas origens.

 

Ninguém quer sofrer, ninguém quer o martírio, todos querem os benefícios da paz, da prosperidade. Mas em primeiro devem ter ciência se é isso que querem em seus pedidos, pois sem merecimento não irão resplandecer no alvorecer de uma nova identidade.

 

A confusão só foi restabelecida com a presença da legião de Lázaro. Os cavaleiros e guias missionárias vieram enxugar as lágrimas dos algozes e das vitimas que não se arrependem de suas atrocidades. Um cobrando do outro, um querendo tirar do outro e assim mais dividas vão se contraindo neste sertão árido. Nem as lágrimas estão chegando ao solo, estão evaporando antes de chegar ao final da contagem.

 

Mestres e irmãos. Chega se exigir, de pedir, tenham compaixão de nosso Pai, eles é um grande amigo e irmão que se atreveu a nos ajudar a superar esta faixa karmica. Nós que pedimos a guerra e a dor, então peçam agora o amor e a cura.

 

O sofrimento destes homens e mulheres despertou uma chamada na organização cristica. Mas para que isso desça sobre todos haverá que ter bônus espirituais para acertar o passo. Se você tem merecimento para atrair os bons fluidos ensine ao seu irmão, ao seu amigo, aos seus familiares. Não guarde somente para você, o egoísmo pode matar tirando de você as suas conquistas.

 

Vamos evangelizar antes que seja tarde demais. Com a mais profunda realidade eles receberam as parcelas de suas vidas e foram se deslocando para baixo. Cada qual parecia ter sido magnetizado, sim, estavam sem movimentos, estavam calmos, pareciam ter tomado alta dose de calmante.

 

Assim todos se foram, um por um, sendo tratado por seu mentor.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

21.11.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta