GOVERNO

Salve Deus!

 

Adjunto Koatay 108 é um governo.

 

Estive, ontem, conversando com Ministro Obatalá, qual frisou muito sobre o governo de um adjunto. Ele tanto pode governar pelo amor como pela dor, mas em ambos os casos são caminhos de evolução ou involução.

 

Referindo-se ao meu governo, sim, pois já venho de outros governos e agora tudo mudou, pois o governo do amor é uma conquista e não uma imposição. A luta pela moralização do caminho se abre em duas vias abastecendo nosso coração de imagens e sons. Esta mistura de sentimentos, de fé, e de justiça do céu, não dos homens, mas a de Deus misericordioso, o bondoso que nos ergue na divina força do espírito caminheiro, nos dá referencias da verdade.

 

Obatalá, é um poder, uma regência, um governo. A minha conquista é de mim mesmo, para que não me perca novamente na contagem dos tolos que se perdem pela vastidão da consciência. O fluido do amor é naturalmente composto dos veículos mediúnicos, é uma força abstrata, não palpável, mas ele pode ser áspero ou dócil, dependendo de quem seja o emissor ou receptor.

 

Adjunto sendo um governo ele pode interagir na sua disciplina comandando legiões de homens ou de espíritos. Na mediunidade cristica que avançamos na eterna busca, chegamos à conclusão que o sol fornece gradativamente a matéria isolada pela nossa necessidade física. Cada qual recebe a mesma quantidade de energia, mas cada um dispõe dela conforme seu estado vegetal. Vejam no caso das plantas, elas recebem a mesma intensidade dos raios solares, mas porém elas têm alta defesa que não as deixam secar ou queimar. Já o homem que recebe a mesma quantidade dos raios secará desidratando seu corpo.

 

Por isso somos um governo de conhecimento onde a água e o oxigênio são partes compostas de nossa realidade.

_ Meu filho, respire fundo, vamos trocar a sua energia, vamos refazer seu plexo, vamos distribuir o excedente que está vos adoecendo pela força do seu governo! Governar pelo amor, sim, pois somente os grandes comandos se organizam pela paz! Respire fundo, até que seu plexo se esvazie por completo e depois a energia positiva será impregnada!

 

Fazendo este exercício da sabedoria de um grande iniciado eu me esvaziei por completo e após esta recomendação ele me foi induzindo a força do Adjunto Koatay 108. Governar por amor ou pela dor, sim, nós temos a escolha, pois somos livres para arcar com nossa missão. Quando um governo se dá na linha cristica onde não se omite o esclarecimento, geralmente o adjunto sofre as desilusões da cobrança karmica. Aquele povo de Deus vibra na conjectura da desarmonia e tudo vai se depositando aos pés do responsável. Uns vibram pelo amor e outro pela dor, mas os cenários só mudam pela vibração, as consequências são as mesmas.

 

Rainha de Sabá veio para também me conduzir, me levando pelas mãos ela me fez ver o grau da percepção animal, porque ainda estamos acrisolados e acobertados nesta massa de ilusão. Se iludir ou se esclarecer, eis as duas linhas da fé que nos liga ao nosso conjunto planetário. Podemos conhecer a real história de um adjunto pela sua natureza humana, porque para conhecer sua obra espiritual, primeiro deveríamos estar na condição desintegrada.

 

Temos bons amigos no espaço sideral que se preocupam com nossas obras. Eles são hierarquias que vem na força direta sem mistificação vão colorindo nosso caminho. Desligando-me da clausura do homem enraizado, muitas vezes subo para descompensar a incubação do espírito, pois a liberdade é algo que temos que prezar muito nesta escola iniciática.

 

Esclarecer ou se esclarecer. Esta escola do caminho que frequentamos tem nos mostrado as paixões da vida moderna, tudo pelo entusiasmo da conquista vai o homem perdendo sua ligação temporal, se desligando pouco a pouco de sua esfera política social. Nos templos do amanhecer, que são à base das conquistas de muitos governos, vemos que os poderes sofrem a alternância, uns variam conforme absorvem o conteúdo e outros se diluem na fluidez do destino.

 

Obatalá me impregnou com a cura do espírito, pois o físico sofre a transição do karma, mas eis que na contagem do sétimo decrescente nós somos vitimas de nós mesmos. Ao governar no passado e agora no presente ter o conhecimento da transformação, em que o nosso governo pode mudar sua esfera de atuação. Eu governei meu povo e hoje venho governar novamente, mas pela disciplina mediúnica e não pela física humana. Os espíritos se conhecem e reconhecem pelo grau de comprometimento, e não pela simples fase de atividade.

 

Eu não posso ser o mesmo de ontem, pois vim para mudar o meu destino. Ser jaguar ou ser adjunto de povo, a força é diferente que vai cobrindo a terra com as lágrimas e vão regando por onde se impregnam. Um jaguar cumpre seu destino e já um adjunto cumpre uma missão. Se você deseja ser um adjunto considere a carta dos adjuntos e faça sua reflexão sob os olhos da clarividente. Ou simplesmente seja um jaguar que cumprirá seu destino sem muitas delongas.

 

Ninguém pode governar sem ter um governo. As linhas se cruzam no destino e por aí vão se elucidando os casos da vida e da morte.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

14.11.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta