SEU TRANCA RUA – Parte 86

Salve Deus!

 

Vejam como nasce um exu.

 

Buscando as linhas dos grandes iniciados vemos o homem descambar em sua ignorância social. O mesmo homem que jura fidelidade e lealdade a Deus, é o mesmo que compactua com o demônio.

 

Eu, neste momento, entro no meu quinto ciclo, o período de conhecer os caminhos do ser humano, pelos quais o endividamento karmico está levando ao abismo de sua incapacidade racional. Como neste caso em que o ser humano irracional está endividado com os senhores trevais.

 

Eram 12 horas quando batemos de frente em uma praça da cidade. Ele, quando me viu com minha esposa, arregalou seus olhos e dali para frente despertou novamente a ira do seu coração. No mesmo dia nos trabalhos Pai Joaquim de Aruanda o trouxe amarrado para conversarmos, pois a vibração estava muito perigosa e ela poderia interferir no destino.

 

Nos tronos, na voz da razão, falei para ele a verdade, pois como disse Jesus: Somente a verdade vos libertará. Mas este espírito é um tirano senhor feudal que ainda se acha dono de tudo e de todos, é um espírito que teve todas as oportunidades de se evoluir e preferiu caminhar pelos vales negros da incompreensão. Foram dadas as mais diversas oportunidades de conhecer a sua missão, mas desejou lutar contra nós, contra esta doutrina e contra Seta Branca.

 

Os diversos pactos com o lado esquerdo se resumem na prestação de serviços para os chefes das falanges. Assim, com seu espírito preso a esta corrente sofredora, ele está se tornando um sofredor. Pior ainda, pois tendo liderança política ele irá se tornar um espírito maligno e sem destino certo.

 

Os espíritos conjurados nesta luta para nos prejudicar não chegam mais, mas eles querem receber o que foi prometido e isso quem vai pagar será quem prometeu. Diversas vezes eles bateram na nossa porta e viram que não estamos sozinhos, temos uma legião de cavaleiros a nossa mercê para nos proteger. Assim, não nos endividamos, mas ele sim, ele terá que pagar centil por centil tudo que fez e que ainda pretende fazer.

 

O ódio é uma carta escrita e assinada com destino certo. Quem entra por esta porta não tem como voltar atrás, pois são caminhos cheios de espinhos, de pedras e desilusão. A doença aos poucos está corroendo sua alma e dilacerada irá percorrer os vales da incompreensão. Este abismo colossal de dor e sofrimento passará a fazer parte de sua involução, pois a redenção só será marcada quando houver perdão.

 

O homem planta e o mesmo homem colhe. Pode ser hoje ou amanhã, mas quanto mais demora para chegar ao fim da revolta, mais ele castiga a si mesmo. A vida espiritual nos ensina a caminhar sempre olhando para o céu, desviar-se dos combates imorais, seguir pela força do amor e se tornar um emissário do bem.

 

Após a meia noite ele chegou transtornado. O espírito se projeta para fora de si pelo ódio concentrado em seu coração. Ao chegar aqui ele tentou de tudo para nos matar, mas tão logo a justiça celestial fez o seu trabalho retirando este espírito do nosso leito. Graças a minha ninfa que se levantou e sentada na cama com sua fita de apara fez uma prece no beneficio dele. Ao receber aquela energia ele foi se afastando daqui e tão logo a paz voltou a reinar.

 

A frieza de pensamento, a traição dos injustos, a morte do sol interior. Quando chegar à hora nefasta do acerto de contas, já no leito de agonia, quando findar os últimos suspiros, eis que os seus donos estarão ao seu lado para cumprir seu destino. Ali irá acabar o dilema físico, mas irá começar o espiritual. Os vales da incompreensão é um caminho triste e muito sofrido para quem se entrega pela força de uma perseguição. Os perseguidos terão um tempo de repensar seus corações, enquanto aos perseguidores serão recolhidos ao mundo de Anodai.

 

Ali serão entregues as suas almas que vagarão sem conhecer o sol, pois em tempestade serão vitimas de suas atrocidades. O espírito deixa de emitir a sua luz e passa a viver somente da sua incapacidade de perdoar. Um homem que poderia ter tudo, mas recusou o ultimo convite de um Pai de luz e amor.

 

Assim, mais um andarilho dos vales da incompreensão, mas um espírito sofredor que se tornará um obsessor pela sua ganância material. Mas, como dizemos, o livre arbítrio é uma escolha, uma decisão própria, então que responda por seus atos. Eu sou somente um missionário que conhece os enredos da vida e da morte, mas e quem não conhece, será que vai aceitar a sua morte.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

09.11.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta