AMIGOS

Salve Deus!

 

Muitas vezes você encontra amigos que não são do vale, são famílias tradicionais que ainda pedem bênção uns aos outros.

 

Este reencontro aconteceu fora dos tramites da terra. Um momento que vai desabrochando dentro do coração e vai assumindo um papel de responsabilidade, pois são vidas com destinos. Eu cheguei e como sempre fui bem recebido, sim, uma família desta região daqui de Campo Largo. Eles me querem bem, mesmo eles tendo outra tradição, eles não ignoram a minha.

 

Estavam todos sentados em uma longa mesa rústica e quando me viram já pediram para me sentar. O converse estava bom, onde pai e filhos trocavam ideias com respeito ao dia de trabalho e o que planejavam para o amanhã. Sentei-me e fiquei ouvindo eles conversarem, daqui a pouco o mais jovem me perguntou sobre a minha missão. Ele queria, tinha curiosidade, mas dentro do respeito, pois onde há respeito, há compreensão.

 

Eu via aquele quadro familiar com muita atenção, porque muitas vezes o seu próprio inimigo está ao seu lado te machucando, te afrontando, te vibrando. Eu conversava com eles e riamos sem motivos aparentes. Era a descontração, momentos de paz e amor, momentos significativos para todos. A felicidade mora onde há amor, não o amor doentio, mas o verdadeiro amor dos justos.

 

As pessoas na terra se deixam envolver por falatórios, por disque me disque, e acabam entrando no caminho da discórdia. Vão se afundando tanto que aquela coluna edificada sobre rocha treme e tudo desaba. O amor não tem duração quando se ama de verdade. Já o amor falso dura menos que se possa imaginar, pois a verdade sobressalta aos olhos espirituais. Os olhos físicos enxergam só o que querem ver, mas os espirituais se aprofundam na evolução do ser.

 

Conforme íamos contando casos da vida nós íamos aprendendo que a sabedoria resulta na simplicidade. O maior sábio é aquele que caminha com seus pés descalços. Eu procuro aprender a vida como ela é, não me envolvendo nas mesquinharias da terra e nem me deixando contaminar pela desavença.

 

Foi então que esta família mesmo não sendo do vale e dentro dos seus costumes tradicionais tem respeito uns pelos outros. A ordem se cumpre de pai para filhos. Tradição que muitas vezes é esquecida por muitos que se perderam nas encruzilhadas do destino.

 

Onde não se tem respeito à vida perece na secura do destino.

A bênção Pai!

A bênção Mãe!

Estas palavras não são toscas e mostram o lado esquecido em muitos lares se prendendo ao costume da formação das famílias, onde todos se respeitam.

 

Voltei, sim, eu deixei a minha impressão registrada neste lado invisível da terra. Como foi bacana ver o desabrochar da vida em dois sentidos. Espíritos da mesma origem seguindo os mesmos destinos, na terra e no céu.

 

Na terra é raríssimo ver estes quadros de ligação temporal, onde muitas famílias veem para pagar seu karma recebendo em seu colo os seus inimigos. Pais matando filhos, filhos matando pais, mães desprovidas de amor maternal, filhos caindo no desgosto da traição. A reorganização cristica se dá na balança do destino em que pesa a cultura. Quanto mais estudos, mais difícil fica de estabelecer um cronograma de aceitação.

 

Como é triste quando uma família desmancha seus laços de afinidade. Mesmo sendo inimigos espirituais eles devem se amar não importando o que os uniu, mas o que irão viver nestes laços da eternidade. Mas ao chegarem na terra e quando desperta a cobrança interior tudo se revela. Um cisco passa a ser uma tramela e um vento se torna uma tempestade. As pessoas deveriam amar a si mesmas, esquecer das fofocas e passar a viver a sua dimensão. Quando alguém se prende pelos pensamentos negativos ela acaba morrendo sozinha mesmo estando acompanhada. Ninguém vive uma vida sedimentada pela discórdia.

 

Como disse Jesus: Ninguém reconstrói sobre os escombros.

Uma família jamais será a mesma tentando reconstruir sobre os alicerces frágeis destruídos pela falta de amor. Não será a mesma coisa, pois sempre haverá um ponto de interrogação na linha da vida. As pessoas se tornam frias e fracas a ponto de tudo ser dirigido contra ela. Qualquer pensamento, qualquer palavra ela se acha inferior e vai construindo seu túmulo durante a sua vida na terra. Passa então a viver do seu próprio destino negativo e vingativo.

 

O amor é uma arma da compreensão. Quem sabe amar sabe respeitar.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

01.11.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta