PAI DE SANTO


Salve Deus!

O respeito deve ser mutuo.

A sagrada missão de Jesus, de Seta Branca, é algo muito sutil e diferente dos costumeiros tradicionais encontros dos espíritas. Primeiro por ser outra forma de atendimento, por onde os espíritos chegam, conhecem e podem falar suas verdades oprimidas.

Isso aconteceu hoje aqui no templo. O espírito que se dizia pai de santo, sim, pois existem os filhos de santo, mas este é um espírito desencarnado que recebe pedidos para fazer mal aos conjurados em suas linhas. Ele recebeu uma encomenda de vir fazer o mal aqui em nossa seara e ao chegar aqui ele foi recebido nos tronos vermelhos. Brabo, porque não pensava em ser preso pela rede magnética, falava barbáries e queria porque queria mistificar a ação doutrinária. Só que a doutrinadora foi com muita tolerância o deixando bem à vontade para que ele falasse e também ouvisse. No final do atendimento, já bem mais calmo, ele recebeu a doutrina de Jesus, fora evangelizado.

Foi feita sua elevação e ao invés dele subir, não, ele simplesmente foi em frente ao Pai Seta Branca e depositou aos seus pés toda aquela parafernália que usava. Tirou tudo, rosário do pescoço, punhal que riscava o chão demarcando sua presença, aquele gorro esquisito de sua cabeça. Ele só faltou se despir em frente à imagem, porque viu que aqui existe uma verdade escondida.

Eu fiquei olhando para ele que não olhava para mim, mas de cabeça baixa aos pés do pai, do Grande Orixá, ele se entregou por completo. Vi que ele havia aceitado sua redenção, estava trocando de lado, estava desistindo de tudo, do seu caminho para reencontrar sua paz e felicidade.

É mais um amigo que for a conquistado pela força do amor doutrinário. Esta ninfa fez o seu papel de evangelizar e mostrar para este irmão o caminho certo a seguir. Tudo com muita calma e elegância em meio aos gritos.

Eu fiquei feliz, porque a nossa missão é justamente nos tornarmos melhores no aspecto humanitário espiritual. Não importa para nós quem é quem, importa se nós estamos no caminho certo, se estamos dentro das leis, cumprindo com nossa obrigação.

O espírito ao passar pela frente do radar seguiu seu destino porta fora, mas já em outra sintonia, em outra evolução. Os resíduos deixados por ele na frente do pai foram recolhidos pelos caboclos, aquilo não poderia ficar em solo sagrado, porque são energias de juras transcendentais. Tudo aquilo está impregnado pelo mal que ele fez a outras vitimas.

Aqui no amanhecer é muito séria a relação encarnados e desencarnados. É algo que eu não brinco, não fujo da sintonia, por mais que tente me desviar a atenção meu pensamento está ligado ao reino central. Não podemos baixar nossa guarda senão seremos vitimas pela imprudência de nossas ações.

Se um templo estiver fora da contagem o povo adoece e aos poucos vai entrando na contra mão das forças. Aquela maravilha de cura passa a ser doença e todos vão sendo contaminados aos poucos e sem poder recorrer cai no abismo sem volta.

É muito fácil sair da contagem, basta seguir outros princípios que não sejam os deixados pela clarividente. Inventar coisas com as emissões, desviar o foco central das organizações celestiais, enfim, é matar todo o acervo. Os homens desta terra estão destruindo o principio altaneiro com suas argumentações. Estão enterrando novamente a espada no coração do seu irmão sem prestar contas de seus atos.

Um templo vazio de energia é como um túmulo abandonado. Os espíritos contrários as leis cristicas fazem a festa em cima da cabeça de homens e mulheres. Distraídos eles nem sentem mais a bordoada, estão acostumados a apanhar, são como couro de jacaré.

Logo veremos o crepúsculo chegar. O sol não ira brilhar mais, viveremos pela dor. Não adorem qualquer imagem sem que ela seja consagrada, seja ela de quem for, porque como disse Seta Branca, somente dos céus ouvireis.

Salve Deus!

Adjunto Apurê
An-Selmo Rá
14.10.2017

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta