OLHA O PERIGO

Salve Deus!

 

Os médiuns têm que andar mais em sintonia e parar que querer inventar coisas que estão em desacordo com as leis do amanhecer.

 

O que eu vi hoje nos trabalhos é de colocar qualquer um de cabelos em pé. Estávamos no atendimento e certa altura chegou uma falange de espíritos atrás de mestres que chegaram no templo, só que eles foram presos pela mesa evangélica. Pai João, Pai Zambú e Pai Jangô, mentores responsáveis pela mesa estavam de honra e guarda. Ao eles entrarem pela porta imediatamente uma corrente magnética os puxou para dentro do circulo. Esta falange iria causar um acidente na estrada, só que eles, sofredores, chegaram atrasados e por isso eles não conseguiram fazer o desencarne.

 

Ao chegarem eu levei um susto, eram muitos, eram como se fosse uma nuvem escura. Alguns foram liberados para chegar nos tronos, pois a mesa não foi aberta. Ao serem capturados pelo magnético da corrente eles ficaram travados e a mesa espiritual os puxou para fora. A doutrina segurou estes espíritos para que não causassem mal aos filhos de Seta Branca. O problema é que estão fazendo coisas erradas, trabalhando em casa e estes espíritos fazem a maior festa. Eu já deixo o meu recado, se acontecer algo não venham culpar o vale do amanhecer.

 

A situação pode ficar fora do controle e a esquizofrenia pode tomar conta das cabeças. É um pulo para acabar com a vida da família, do lar e de todos que participam. Não me venham dizer que estão certos, não foi isso que Tia Neiva deixou, então nem era preciso ter um templo, todos trabalhariam em suas casas.

 

Os mentores não são cegos e nem burros, aliás, eles fecham muitas vezes seus olhos para certas atitudes para não ofender o coração. O problema está na terra e não no céu, porque sem limites na responsabilidade eles deixam por conta dos seus desejos. Aí, quando as cobranças se acentuarem na faixa karmica, não peçam socorro ao Pai, pois ele sempre alerta das consequências do livre arbítrio.

 

Livre arbítrio é respeitado pelo mundo espiritual, desde que todos não saibam o que seja a verdade, mas quando já sabem dos perigos, das armadilhas, das cobranças, aí meu irmão, você está entre a cruz e a espada.

 

Eu não posso interferir no ambiente das famílias, mas aqui no templo eu estou alertando, e quando não houver mais solução, adeus. Trabalhar dando passagem a exus dentro de casa é como amarrar um jumento que fica relinchando dia e noite como uma trombeta chamando mais outros para o jantar.

 

Eu, aqui mesmo, nunca abri um trabalho fora do templo, nunca mesmo. Sei das consequências de abrir um canal e formar um duto com os vales negros. Aí, este lar, nunca mais terá sossego. Será uma cobrança atrás da outra. Os espíritos não querem nem saber se o ambiente está bom ou ruim, eles querem energia, querem sangue, querem morte.

 

Era assim que iria acontecer, mas a espiritualidade é sabia e deu um tempo para que eles chegassem no vale. Mas eu não vou mais falar, vou deixar acontecer, acho que só uma lição direta poderá mostrar o caminho certo. Pai João não estará do lado deles e eles terão que prestar contas de seus atos.

 

A luz de Seta Branca é azulada e quando penetra na retina deixa-nos emocionados. O templo se modifica e tudo parece diferente, tão diferente que parece que o céu nos abraça.

 

Salve Deus!

 

Adjunto Apurê

An-Selmo Rá

01.10.2017

 

Sair da nossa lista:

Receber/Deletar

Deixe uma resposta